Divulgação-28/3/2007
Divulgação-28/3/2007

Centro cultural gratuito é destaque na pesquisa

Voltado para jovens, CCJ Ruth Cardoso, na zona norte da capital, foi aprovado por 80% dos [br]entrevistados pelo Ibope

Ana Bizzotto, O Estado de S.Paulo

30 Dezembro 2010 | 00h00

No ranking de 20 serviços ou eventos elencados pela pesquisa, o Centro Cultural da Juventude Ruth Cardoso, na Vila Nova Cachoeirinha, zona norte, teve a maior aprovação entre quem conhece o serviço: 80% dos entrevistados aprovam totalmente e 19% o aprovam em parte. Curiosamente, 67% dos entrevistados não conhecem o centro.

"Essa boa avaliação está diretamente relacionada à qualidade do trabalho de todos no CCJ e o compromisso com as políticas públicas de juventude", avalia o diretor do centro, Leandro Benetti. "Hoje o centro é criado por lei, o que dá sustentabilidade institucional e condições para manter uma programação diversificada e espaços bem cuidados."

Criado em 2006, o CCJ tem média de 12 mil atendimentos por mês e uma programação variada e totalmente gratuita, com média mensal de 72 atividades. O centro também é jovem no quadro de funcionários: a faixa etária média é de 27 anos. Fechado para o recesso de fim de ano, o centro reabrirá no dia 4.

Para Leandro, a boa aprovação reflete a demanda por serviços voltados a esse público. "E comprova que um espaço aberto como esse, que não tem estereótipos e serve como observatório das práticas cotidianas dessa população, é um modelo que funciona e deveria ser multiplicado com mais velocidade."

Sobre o fato de o CCJ ser pouco conhecido, o diretor comenta que isso é um grande desafio. "Há uma oferta muito grande de atividades na cidade e é difícil aparecer, ainda mais com um equipamento como o nosso, que não é central e é recente."

Gratuito. Pelo menos uma vez por semana, o estudante Anderson Martins, de 15 anos, frequenta o CCJ. "É legal ir lá, porque sempre tem algo para fazer. Uso a internet, faço trabalhos da escola, vejo o pessoal dançar hip hop e vou começar a fazer capoeira em janeiro", conta ele, enquanto empina uma pipa na frente de casa, a um quarteirão do CCJ.

Anderson considera importante que as atividades sejam gratuitas. "É bom para quem não pode pagar. Pelo menos lá você ocupa a cabeça com coisas que dão futuro, em vez de ficar na rua."

Serviço

CCJ RUTH CARDOSO: AVENIDA DEPUTADO EMÍLIO CARLOS, 3.641, VILA NOVA CACHOEIRINHA. DE TERÇA A SÁBADO, DAS 10H ÀS 20H. DOMINGOS E FERIADOS, DAS 10H ÀS 18

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.