Nilton Fukuda/AE
Nilton Fukuda/AE

Center Norte põe drenos e deve reabrir amanhã

Shopping espera que aval seja dado após vistoria conjunta hoje de Prefeitura e Estado

CIDA ALVES, RODRIGO BRANCATELLI, O Estado de S.Paulo

06 Outubro 2011 | 03h02

O Center Norte terminou ontem de instalar os dez drenos que darão vazão ao gás metano existente no subsolo do terreno e deve reabrir já amanhã. O aval vai depender de vistoria que será feita às 17 horas de hoje pelo prefeito Gilberto Kassab (PSD) e pelo secretário estadual do Meio Ambiente, Bruno Covas.

A medida foi uma exigência da Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb) e do Ministério Público Estadual (MPE) para garantir a segurança do complexo, onde também estão o Lar Center e um supermercado Carrefour.

Na tarde de ontem, técnicos da Cetesb foram ao shopping vistoriar o novo sistema - como já havia um dreno no local, o Center Norte conta agora com 11 equipamentos de drenagem em dez pontos diferentes, um a mais que os nove exigidos no Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) assinado na semana passada no Ministério Público. "O sistema instalado está operando em sua totalidade e, com base nas medições feitas nos poços de monitoramento, a Cetesb avaliará a eficiência para eliminação dos riscos potenciais", afirmou por meio de nota o órgão estadual, que ainda manteve a multa diária de R$ 17 mil. "Constatada a eficiência, a Cetesb dará por atendida parte das exigências."

Ontem foi o primeiro dia que o Center Norte - que tem 331 lojas, média de público diária de 120 mil pessoas e 6 mil trabalhadores - ficou fechado em 27 anos de história. A expectativa dos donos agora é de que as lojas possam ser reabertas antes do fim de semana - considerado um dos mais lucrativos do ano, por ser o último antes do Dia da Criança (12 de outubro). "O shopping espera que, com o cumprimento de todas as determinações dos órgãos públicos, volte a funcionar o mais breve possível", disse, em nota.

Erro. Kassab também falou sobre a reabertura. "Minha sensibilidade diz que em poucos dias a Prefeitura poderá suspender a interdição", afirmou o prefeito. "Eu torço para que seja uma questão de horas e de dias." Para o prefeito, o shopping errou ao não ter feito antes a instalação dos drenos. "Já faz algumas semanas que veio a manifestação da Cetesb", disse. "Eles poderiam ter iniciado as obras imediatamente. Assim, não teria acontecido o fechamento do shopping."

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.