Marcio Fernandes/AE
Marcio Fernandes/AE

Center Norte, Cetesb e MP assinam termo, mas interdição é mantida

Caso medidas previstas no acordo sejam cumpridas e constatadas, fechamento será suspenso

Priscila Trindade, estadão.com.br

28 de setembro de 2011 | 19h52

SÃO PAULO - Representantes do Shopping Center Norte, do Ministério Público e da Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb) assinaram nesta quarta-feira, 28, um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) com medidas para afastar o risco de explosão no estabelecimento. O shopping entrou na lista de áreas contaminadas críticas devido a existência de gás metano no terreno.

Na terça-feira, o shopping, seu complexo de estacionamentos, o hipermercado Carrefour e o Lar Center receberam um auto de interdição da Prefeitura de São Paulo, obrigando-os a fechar em 72 horas.

No documento, o shopping se compromete a completar a instalar e dar início a operação, no prazo de 20 dias, do sistema emergencial de drenagem de gases. Deverão ser instalados nove drenos para retirar o gás metano do subsolo.

A empresa se obriga ainda a manter o monitoramento diário da presença de gases nos poços de medição já instalados. O gás está localizado abaixo do piso do empreendimento, sob a camada de concreto.

Segundo a Prefeitura, a decisão sobre o fechamento do shopping está mantida, pois o documento ainda não foi enviado à administração municipal. Caso as medidas sejam consideradas satisfatórias, a interdição deve ser suspendida.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.