CENÁRIO: plano de segurança saiu por R$ 27,5 mi; governo previa mais

O preço final da segurança da visita do papa Francisco e da Jornada Mundial da Juventude ficou menor que a estimativa inicial. O governo estava preparado para gastar cerca de R$ 74 milhões. Vai pagar preço de promoção: não mais de R$ 27,5 milhões. O dinheiro está sendo gasto em treinamento de pessoal, combustível, transporte, alimentação e infraestrutura.

Roberto Godoy, O Estado de S.Paulo

25 de julho de 2013 | 02h09

Segundo o ministro da Defesa, Celso Amorim, "os principais investimentos visam a modernizar as Forças Armadas e não apenas atender às demandas dos grandes eventos, iniciados em 2012 com a conferência ambiental Rio+20, que só terminam com Olimpíadas de 2016". Há 14.306 militares envolvidos na Jornada e na agenda do papa no Rio. Em Aparecida, havia outros 4.040. Além dos soldados, há também médicos, psicólogos, enfermeiros e pessoal de logística.

Tudo o que sabemos sobre:
papa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.