Celulares de São Paulo ganharão nono dígito em agosto

Mudança vale a partir do dia 25 de agosto para os celulares de todo o Estado e afetará 30 milhões de linhas

Filipe Serrano, O Estado de S.Paulo

22 de julho de 2013 | 19h01

SÃO PAULO - Em um mês, os celulares do Estado de São Paulo vão receber o nono dígito "9? em sua numeração, a exemplo do que ocorreu nos números da capital paulista. A mudança passa a valer a partir da 0h do dia 25 de agosto e afetará cerca de 30 milhões de linhas ativas dos DDDs 12, 13, 14, 15, 16, 17, 18 e 19, que cobrem todo o Estado.

A implementação do nono dígito segue o cronograma da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), definido em janeiro, para aumentar a quantidade de combinações possíveis para números de celular no País.

Os DDDs de São Paulo são os primeiros a receber o nono dígito depois da adoção da nova numeração na capital paulista, em julho do ano passado.

Haverá um período de transição de 40 dias a partir da data de implementação em que as chamadas com oito dígitos continuarão a ser completadas, após uma mensagem de aviso da empresa de telefonia. Passados 100 dias, as chamadas não serão mais completadas e a pessoa ouvirá uma mensagem de número inexistente.

A mudança vale para qualquer chamada feita para os celulares dessas regiões feita de qualquer telefone fixo ou móvel do País.

Em outubro será a vez dos Estados do Rio de Janeiro e Espírito Santo receberem o nono dígito, para os DDDs 21, 22, 24 (RJ), 27 e 28 (ES). A mudança para essas regiões valerá a partir de 27 de outubro.

O nono dígito chegará à região Norte (AM, AP, MA, PA, RR) em 2014. No ano seguinte deverá ser implementado no Nordeste (AL, BA, CE, PB, PE, PI, RN, SE) e em Minas Gerais, no Sudeste. Em 2016, será a vez dos demais Estados receberem o nono dígito, incluindo da região Centro-Oeste (GO, MT, MS), Sul (RS, PA, SC), Norte (AC, RO, TO) e o Distrito Federal.

Mais conteúdo sobre:
Nono dígito

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.