Ceagesp anuncia que ainda não há data para cobrança de estacionamento

Expectativa de comerciantes era que o pagamento fosse implantado a partir do dia 1º de fevereiro

Luciano Bottini Filho, O Estado de S. Paulo

31 Janeiro 2014 | 16h27

SÃO PAULO - Após reunião entre donos de boxes, feirantes e caminhoneiros que trabalham na Companhia de Entreposto e Armazéns Gerais de São Paulo (Ceagesp), na manhã desta sexta-feira, 31, a estatal anunciou que ainda não há uma data para a cobrança de tarifa de acesso ao local. A expectativa dos comerciantes era que o pagamento fosse implantado a partir do dia 1ª, o que eles não desejavam.

Os valores já foram divulgados nesta semana e provocaram reação negativa de empresários e autônomos que usam o espaço para fornecer mercadorias na Capital. Pela tabela de preços, a permanência de automóveis e utilitários por uma hora será de R$ 6. A taxa aumenta progressivamente até R$ 50, acima de 10 horas. Motos pagam uma diária de R$ 2. Caminhões de dois eixos terão tarifa de R$ 4 para até 4 horas, com o máximo de R$ 50 acima de 10 horas. As tarifas de caminhões de três a seis eixos começam em R$ 5, para 4 horas, e vão até R$ 60, acima de 10 horas.

A Ceagesp afirma que ainda está em fase de implantação o novo sistema de cancelas que vai controlar o tempo de permanência dos usuários no entreposto, junto com a concessionária Companhia de Concessões em Circulação Veicular (C3V), que ganhou a licitação para administrar a segurança e movimentação de automóveis e caminhões nos armazéns. Por dia, o Ceagesp recebe até 12 mil veículos, com um fluxo de 50 mil pessoas.

Mais conteúdo sobre:
Ceagespestacionamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.