Católicos celebram Corpus Christi com tapetes do papa

Desenhos de Francisco dominaram a decoração em várias cidades; adornos são feitos com café, serragem e areia

O Estado de S.Paulo

31 Maio 2013 | 02h05

Como manda a tradição católica, a festa do Corpo e Sangue de Jesus foi celebrada ontem sobre os típicos tapetes de sal ou serragem. Em todo o Estado, milhares de fiéis foram às ruas preparar os adornos, que neste ano destacaram a figura do papa Francisco. Em Santana de Parnaíba, na Grande São Paulo, cerca de mil pessoas participaram da confecção do tapete, que é feito de café, pétalas de rosa, cal e areia, além de corantes que dão brilho aos desenhos. No fim da manhã, turistas puderam conferir o trabalho dos artistas em um trajeto de quase um quilômetro.

Na capital, a chuva atrapalhou, mas não impediu a festa. Na Catedral da Sé, por exemplo, fiéis tiveram de refazer os enfeites preparados para a passagem da Eucaristia. A missa, iniciada às 9h, foi celebrada pelo cardeal-arcebispo de São Paulo, d. Odilo Scherer. Em seguida, houve procissão pelo centro.

Matão. Já era início da noite de ontem quando a procissão de Corpus Christi partiu da frente da Igreja Matriz do Senhor Bom Jesus, no centro de Matão, cidade paulista que realiza uma das mais tradicionais festas do País. A chuva parou e milhares de pessoas acompanharam os padres que seguiam junto ao Santíssimo em meio a orações e cantos.

A celebração na cidade completou 65 anos. A procissão percorreu um caminho de desenhos confeccionados manualmente por mais de 700 voluntários. Eles usaram cerca de 70 toneladas de dolomita, areia e vidro moído. Organizadores estimam que até domingo a festa deve atrair 70 mil pessoas.

Em Ibitinga, conhecida como a terra do bordado, dez quarteirões ganharam tapetes para a procissão feitos de materiais como edredons e toalhas, doados pelas bordadeiras. A expectativa era de atrair neste Corpus Christi um público de 25 mil pessoas. / ADRIANA FERRAZ e RENÉ MOREIRA, ESPECIAL PARA O ESTADO

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.