Caso Villela: filha vai para a prisão pela segunda vez

Alegação da promotoria é que a acusada estaria atrapalhando processo da morte de ex-ministro, mulher e empregada

Rosa Costa, O Estado de S.Paulo

28 Janeiro 2011 | 00h00

A pedido do Tribunal de Justiça do Distrito Federal, a arquiteta Adriana Villela foi presa ontem na casa de parentes onde estava hospedada, no Rio. Ela é filha do ex-ministro do Tribunal Superior Eleitoral José Guilherme Villela e de Maria Carvalho Villela. O casal e a empregada Francisca Nascimento da Silva foram assassinados em 28 de agosto de 2009 no apartamento onde moravam, em área nobre de Brasília. A arquiteta chegou à capital federal, onde está presa, ontem mesmo.

Adriana ficou 15 dias presa preventivamente no ano passado, por suspeita de atrapalhar as investigações. Ela foi denunciada no início de outubro como mandante do crime, mas as provas divulgadas até agora pela Polícia Civil são consideradas frágeis pela defesa. O processo corre em segredo de Justiça.

O pedido de prisão foi feito pelo Ministério Público no último dia 17 e aceito pelo TJ uma semana depois. Aponta como motivo a necessidade de garantir a instrução processual e a ordem pública. Em nota, o MP informa que "condutas irregulares praticadas por policiais civis com o objetivo de beneficiar Adriana obrigaram o MP a rever seu posicionamento que permitia que a acusada respondesse ao processo em liberdade".

O advogado de Adriana, Rodrigo Alencastro, entrou com pedido de habeas corpus para impedir a prisão preventiva. Ele classificou a ordem de prisão de "desnecessária" e adotada antes da abertura do prazo para defesa. "Não tivemos oportunidade de responder às supostas acusações." Segundo ele, Adriana avisou a Justiça sobre a ida ao Rio.

Herança. A investigação se arrasta há um ano e cinco meses. O Ministério Público e a Polícia Civil apontam como principal motivo da denúncia contra a filha a disputa da herança dos pais, de cerca de R$ 100 milhões. Mas a acusação é rejeitada por parentes de Adriana, inclusive por seu irmão, Augusto Villela, com quem ela dividirá o patrimônio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.