Caso repercute em meio às eleições municipais

O caso da estudante Thais Moreira, de 20 anos, tem potencial explosivo na França em meio às eleições municipais - o segundo turno acontece no domingo, e os partidos de extrema direita, xenofóbicos, têm desempenho acima de sua média.

Andrei Netto, O Estado de S.Paulo

27 Março 2014 | 02h06

Além disso, a situação de Thais lembra a de outra estudante, a romena Leonarda Dibrani, de 14 anos, extraditada com a sua família em 2013. Revelado em outubro do ano passado, o caso provocou um escândalo nacional e transformou a adolescente em símbolo das deportações de ciganos, que se intensificaram no governo de Nicolas Sarkozy, mas continuaram no de seu sucessor, o socialista François Hollande. Deputados e militantes do Partido Socialista (PS) pressionam pela demissão do ministro do Interior, Manuel Valls.

Leonarda e a família foram deportadas para Kosovo, ex-província sérvia que conquistou a independência em 2008. Ela foi levada pela polícia quando viajava numa excursão escolar, com os colegas e professores. Além de manifestações e passeatas públicas em várias cidades da França, o caso obrigou o presidente François Hollande a se pronunciar, autorizando seu retorno - mas não o de sua família.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.