Robson Ventura/Pool/AE
Robson Ventura/Pool/AE

Caso Mércia: Juiz nega à promotoria gravação de depoimentos

MP queria confrontar dados coletados do celular de vigia com alegações de funcionários de posto

Eduardo Roberto, estadão.com.br

19 de outubro de 2010 | 19h55

GUARULHOS - O juiz Leandro Jorge Bittencourt Cano encerrou por volta das 19 horas o segundo dia de audiência sobre a morte da advogada Mércia Nakashima. Nesta terça-feira, 11 pessoas prestaram depoimento. Quatro testemunhas foram dispensadas.

 

Veja também:

linkDelegado rebate versão de Mizael e traz novas acusações

linkEx-mulher de Mizael se contradiz e promotoria fala em falso testemunho

linkFlanelinha diz ter visto Mizael em carro igual ao achado com corpo

especialCobertura completa do caso Mércia

 

Ao final da sessão, o promotor Rodrigo Merli Antunes pediu ao juiz as gravações dos depoimentos de duas testemunhas, Gentil José de Oliveira e Alfeu Cardoso dos Santos, que confirmaram que viram o réu Evandro Bezerra Silva trabalhando como vigia no posto de gasolina no Jardim Presidente Dutra, em Guarulhos, por volta das 20h do dia do crime, 23 de maio. Ambas as testemunhas trabalham no local.

 

Para o promotor, essas alegações, quando confrontadas com os dados coletados a partir do rastreamento do celular de Evandro, poderiam incriminar as testemunhas sob o delito de falso testemunho.

 

De acordo com essas informações, o réu teria feito quatro ligações - às 18h68, 19h02, 19h29 e 19h42 - quando se encontrava nos bairros de Bela Vista e Macedo, também em Guarulhos. Os locais seriam próximos às casas de Mércia Nakashima e de sua avó.

 

O advogado de defesa Samir Haddad Junior classificou o pedido como "impertinente", já que se trataria de "confronto de prova técnica", e diminuiu a importância dos dados colhidos a partir dos celulares do acusado. "Na verdade, a coleta e a análise dos dados foram feitas por investigador de polícia e não por 'expert', com reconhecido saber técnicos para assinar laudos", disse.

 

O juiz decidiu negar o pedido do Ministério Público, já que, segundo ele, "a análise de falso testemunho será dos jurados". "Por ora, não como há atender o pedido do MP [Ministério Público]", encerrou o magistrado.

 

A audiência continua nesta quarta-feira, 20, a partir das 13h. Evandro e Mizael Bispo, ex-namorado de Mércia, prestarão depoimento. O juiz poderá decidir se o caso será julgado em júri popular ou se ficará arquivado.

Tudo o que sabemos sobre:
caso Mércia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.