Caso do atropelamento por moto aquática tem nova audiência

Grazielly Almeida Lames, de 3 anos, morreu após ser atingida por veículo no dia 18 de fevereiro, em Bertioga

30 Agosto 2012 | 11h55

São Paulo, 30 - Está marcada para as 13h30 desta quinta-feira, 30, a segunda audiência do processo sobre a morte de Grazielly Almeida Lames, de 3 anos, atropelada por uma moto aquática em Bertioga, no litoral de São Paulo, no dia 18 fevereiro. A sessão foi confirmada pela diretoria do Fórum de Bertioga, mas o Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) ainda não informou quem irá prestar depoimento. O estadão.com.br não conseguiu contato com o juiz responsável pelo caso, Rodrigo de Moura Jacob.

Na quarta-feira passada, 22, a mãe de Grazielly, Cirleide Rodrigues Lames, prestou seu depoimento e deixou a sala emocionada com a reprodução dos relatos do acidente. A garota foi atingida por uma moto aquática desgovernada quando brincava na praia de Guaratuba, num sábado de Carnaval - era a primeira vez que ela visitava uma praia. O veículo era conduzido por um adolescente de 13 anos, que perdeu o controle. Ele e outro menor que o acompanhava na garupa poderão responder a uma medida socioeducativa.

Após perícia do Instituto de Criminalística, a polícia indiciou por homicídio culposo (sem intenção de matar) o dono do equipamento, o padrinho do adolescente (que deu a partida), o caseiro da residência (que teria ajudado o jovem a levar o veículo até a praia), o dono da marina onde a moto aquática estava abrigada e um mecânico. A manutenção incorreta no equipamento teria causado uma aceleração súbita antes de o veículo atingir Grazielly, já sem ninguém na condução.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.