Caso Bruno: polícia pede DNA de corpo carbonizado em SP

A polícia informou ontem que o delegado Edson Moreira, responsável pelo inquérito do desaparecimento de Eliza Samudio, ex-amante do goleiro Bruno, pediu para a polícia de Guaratinguetá, no interior paulista, fazer exame de DNA num corpo carbonizado achado dia 26 em Cachoeira Paulista.

Eliane Souza, Especial Para o Estado, O Estado de S.Paulo

21 de julho de 2010 | 00h00

 

Ontem, a amante do goleiro Fernanda Gomes Castro, de 31 anos, prestou depoimento. Segundo seu advogado, Ércio Quaresma, que também defende Bruno e outros cinco acusados, ela confirmou que esteve com o filho de Eliza no Rio, mas disse que em nenhum momento teve contato com a desaparecida. Também disse que esteve no motel com Bruno, mas ressaltou que não viu Eliza nem o bebê no local.

Ontem, a mulher de Bruno, Dayane Souza, escreveu uma carta dizendo que voltou a ser defendida por Quaresma.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.