Caseiro diz que não ajudou a pegar jet ski

O caseiro Erivaldo Francisco de Moura, que trabalha para os donos do jet ski que atropelou a menina Grazielly, de 3 anos, em Bertioga, em fevereiro deste ano, disse que não ajudou a colocar o equipamento no mar. Ele prestou depoimento na segunda audiência sobre o caso. Para o advogado da família da menina, no entanto, a ação não poderia ser feita pelos dois meninos acusados de estar com o veículo.

O Estado de S.Paulo

01 de setembro de 2012 | 03h05

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.