RENE MOREIRA/ESTADÃO
RENE MOREIRA/ESTADÃO

Caseiro de sítio é acusado de matar patrão a facadas após ser demitido

Demissão aconteceu, diz a polícia, porque Devanir Caetano era usuário de crack e teria utilizado veículo sem autorização

Sandro Villar, Especial para o Estado

28 de agosto de 2015 | 18h31

O caseiro Devanil de Jesus Caetano, de 22 anos, é acusado de ter matado a facadas o engenheiro agrônomo Armando Kenzo Ichimura, de 56 anos. O assassinato teria acontecido no sítio de Ichimura após Caetano ser demitido, na tarde de quarta-feira, em Ourinhos (SP).

Segundo a polícia, a demissão teria acontecido por uso de drogas e utilização indevida de um veículo de Ichimura. O investigador da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) Everaldo Patrício Júnior, de 44 anos, afirma que os dois discutiram em um milharal. "E, depois de matar o engenheiro, o caseiro colocou o corpo no veículo da vítima e o jogou em um canavial distante dez quilômetros do milharal", disse.

O caseiro teria roubado R$ 137 do engenheiro. "Ele foi para a cidade e gastou uma parte do dinheiro na compra de crack", contou o policial. 

A polícia prendeu o caseiro depois que a mulher do engenheiro registrou Boletim de Ocorrência (BO). "Ela estranhou a demora do marido em voltar para casa e, na noite de quarta-feira, registrou BO de desaparecimento", afirmou o investigador. Segundo Patrício Júnior, o criminoso "não demonstrou arrependimento" ao ser preso.

Choque. O crime chocou a população de Ourinhos, onde o engenheiro era uma pessoa conhecida por trabalhar na Casa da Agricultura. Ichimura foi sepultado nesta sexta-feira, 28, no Cemitério Municipal de Ourinhos. O caseiro está preso na Cadeia Pública de São Pedro do Turvo, onde aguarda transferência para um presídio. Acusado de latrocínio, pode ser condenado a até 30 anos de prisão. 

Tudo o que sabemos sobre:
Ourinhos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.