Mario Ângelo/AE
Mario Ângelo/AE

Casas desabam nas zonas norte, sul e leste

Pelo menos duas pessoas ficaram feridas nas Vilas Mazzei e Gustavo e só na Cidade Dutra 16 famílias tiveram de abandonar suas residências

Eduardo Reina, Paulo Saldana, Renato Machado e Vitor Hugo Brandalise, O Estado de S.Paulo

01 Março 2011 | 00h00

As fortes chuvas da tarde de ontem provocaram o desabamento de pelo menos 11 imóveis nas regiões norte, sul e leste de São Paulo. Segundo a Defesa Civil Municipal, os casos aconteceram na Vila Guilherme, na zona norte, onde quatro casas desabaram, na Vila Maria Alta, na mesma região, onde um sobrado cedeu e acabou caindo sobre outros ao redor. Na Cidade Dutra, na zona sul, três casas foram atingidas e, no Cangaíba, zona leste, parte de uma casa caiu. Duas pessoas ficaram feridas no total.

A situação foi mais grave na zona norte. Na Vila Guilherme, a Defesa Civil já havia interditado pelo menos 12 imóveis depois que uma casa desabou sobre outras entre as Ruas Belchior de Ordas e Ernani Pinto. Uma pessoa ficou levemente ferida e foi atendida por agentes da Defesa Civil, segundo o Corpo de Bombeiros.

Vizinhos estão com medo de um novo acidente. "Estou com muito medo, parece que vai tudo desmoronar e levar a minha casa e a da vizinha", disse a empresária Leonídia Maria, de 55 anos.

Segundo ela, os bombeiros foram chamados, mas nenhuma viatura foi ao local.

Uma segunda pessoa ficou ferida na zona norte, na Vila Gustavo, quando a parede de um mercado desabou por causa da chuva. A pessoa ferida é funcionária do mercado e estava no depósito do local quando a parede rompeu. "Ouvi um barulhão. Depois, vi a menina saindo de maca, mas ela estava consciente", disse a vizinha Regiane Bolais Monica, de 32 anos, gerente do açougue ao lado do mercado. A funcionária foi levada ao Pronto Socorro do Jaçanã, na zona norte.

Zona sul. Alguns dos desabamentos foram consequência ainda da chuva que começou na tarde de domingo e seguiu ininterrupta até a manhã de ontem. Na região de Cidade de Dutra, por exemplo, duas casas desabaram na manhã de ontem no bairro Jardim Régis. Uma terceira residência precisou ser demolida porque a estrutura havia sido abalada. Dezesseis famílias tiveram de deixar suas casas, que foram interditadas pela Defesa Civil.

Segundo o órgão, as casas que desabaram e as interditadas foram construídas em cima de um córrego. As famílias que perderam suas casas foram encaminhadas para residências de amigos e parentes e, segundo a Subprefeitura de Capela do Socorro, terão atendimento de assistentes sociais.

Na zona leste, uma casa na Rua Arnaldo de Moraes, em Cangaíba, região da Penha, desabou parcialmente. Segundo a Defesa Civil, não houve vítimas.

As chuvas ainda provocaram dois deslizamentos em terrenos na região, mas sem deixar feridos. Muros de sete casas caíram total ou parcialmente em seis regiões da capital. Não houve feridos graves. A Defesa Civil atendeu ontem 45 chamados.

Em Ribeirão Pires, Região Metropolitana, na Rua Alexandria, Jardim Valentina, houve deslizamento de terra numa residência. Sem vítimas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.