Casarão na Haddock Lobo é demolido

Além de imóvel do começo do século 20, 2 casas foram abaixo; local terá um prédio

RODRIGO BURGARELLI, O Estado de S.Paulo

13 de novembro de 2012 | 02h01

Um casarão de quase um século de idade, que ocupava o número 141 da Rua Haddock Lobo, na região da Avenida Paulista, foi demolido há cerca de duas semanas por uma construtora. Famoso por abrigar por 12 anos o restaurante Pão com Manteiga, ele data do início do século 20 e era um dos "xodós" dos amantes do patrimônio histórico paulistano. Outras duas casas no mesmo quarteirão também foram demolidas e vão dar lugar a um empreendimento imobiliário da construtora Even.

A demolição causou revolta entre ONGs e aficionados pelo patrimônio. "Não era um casarão qualquer. Era um casarão estilo neocolonial, altamente representativo da época em que foi construído" afirmou Jorge Eduardo Rubies, presidente da ONG Preserva São Paulo. A entidade entrou com pedido de tombamento no início do ano para o conjunto de casarões, um dos poucos que restaram na região das Ruas Haddock Lobo e Bela Cintra, do lado do centro.

O Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico (Conpresp), porém, negou o pedido e mandou arquivar o processo. "O casarão estava preservado, era relevante e tinha todos os pré-requisitos para ser tombado. Não adianta mais pedir o tombamento de nada no Conpresp. São os que deveriam cuidar do nosso patrimônio, mas nunca atendem aos nossos pedidos", reclamou Rubies.

A Secretaria Municipal de Cultura afirmou apenas que o assunto foi examinado pelo Conpresp em junho deste ano e a deliberação contrária ao tombamento foi unânime.

O imóvel ainda estava nas mãos da mesma família que o ergueu e foi vendido diretamente de uma das herdeiras à incorporadora. O dono do Pão com Manteiga, Arnaldo Príncipe, já mudou o endereço do restaurante, que agora funciona em um sobrado na Alameda Campinas. Ele também se revoltou com a demolição. "Estão deixando a cidade mais feia", disse.

O restaurante ocupou o casarão no ano 2000, após mais de duas décadas de abandono. "Não tínhamos condições de comprar e a incorporadora joga pesado. É bravo. O que a gente faz com um País que não preserva sua história?"Nem ele nem sua esposa - que também é sócia do restaurante - quiseram ver a demolição. "Aquela região já está completamente saturada. Agora vai ficar ainda mais."

Histórico. A construtora Even virou alvo dos defensores do patrimônio histórico em junho de 2011, quando demoliu um dos seis únicos casarões que restavam na Avenida Paulista. Procurada, a empresa disse que "obteve as autorizações necessárias à execução do empreendimento comercial, aí incluída a demolição dos imóveis no local".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.