Casamento entra na 'era YouTube'

Com imagens que parecem de filme, vídeos hoje estão mais curtos, com edição dinâmica e trilha sonora moderna

NATALY COSTA, O Estado de S.Paulo

20 Outubro 2012 | 03h08

A entrada da noiva, o discurso do padre, o beijo. O momento da valsa, a mesa de doces, a festa. Antes, cada segundo do casamento era minuciosamente captado pela câmera, para depois ser reproduzido, cheio de redundância, nos videocassetes da família. Esses vídeos mudaram. Estão mais curtos, com edição dinâmica e trilha sonora moderna, qualidade de cinema e imagens que parecem de filme.

Boa parte dessa evolução se explica pelos profissionais que entraram no mercado recentemente. Vindos da publicidade, do cinema, da fotografia e da TV, deram uma linguagem mais descolada a um produto antigo. Por outro lado, as cerimônias também ficaram mais informais e pedem um registro igualmente descontraído.

Também se popularizou o uso de câmeras como Canon 5D - preferida dos cineastas e fotógrafos -, GoPro - que filma de qualquer ângulo - e até a volta de filmes como o Super-8, que deixam o vídeo com textura de antigamente.

Em vez de já começarem na igreja, os vídeos partem do making-of dos noivos: maquiagem, arrumação da gravata. Depois, os melhores momentos da cerimônia. Terminam com a festa e a animação dos noivos e dos convidados.

Para ficar mais fácil de mandar por e-mail ou postar nas redes sociais, é comum que cada vídeo tenha um teaser, uma versão menor com os melhores momentos para ser posta no YouTube e compartilhada no Facebook. Um teaser tem de 30 segundos a 3 minutos. Vídeos completos dificilmente passam dos 20 minutos.

Como um curta-metragem ou um clipe, ser rápido e gostoso de ver é a grande pedida. "Recebo casais com trauma de ir à casa de amigos ou parentes e ter de assistir a um vídeo de uma hora", conta Luísa Guanabara, da produtora A Cereja. "Hoje, o vídeo de casamento tem muito mais influência da publicidade e da moda do que de eventos sociais."

Produção. Após ter trabalhado alguns anos com TV, Marília Meirelles teve um problema quando foi casar e não encontrava quem fizesse o registro. Resultado: o irmão arranjou uma equipe, filmou e Marília editou o próprio vídeo. Daí nasceu a Lado de Dentro Weddings, em parceria com o irmão, Fábio. "Não fazemos linha de produção. Os vídeos vão muito do nosso gosto pessoal, do que a gente faria pra gente mesmo." Um filme pode levar até seis meses para ser entregue aos noivos - por isso a importância do teaser, para "acalmar os ânimos", brinca Marília.

A insatisfação com o convencional também tomou conta da arquiteta Renata Sandoli, então noiva, agora casada com o publicitário Rafael Cardoso. Personalizada em cada detalhe, a festa foi em um restaurante. Contrariando o senso comum, os noivos se arrumaram juntos, em casa. "Não queria nada de vídeo com áudio, e sim um clipe do casamento. Quando contratei a produtora, falei: 'Pode fazer o que você quiser, a coisa mais doida, com filtro de luz, de cor'." O resultado pode ser visto aqui: vimeo.com/31045916. Um desses sai por volta dos R$ 4,5 mil.

Trilha. Renata e Rafael deram palpite na escolha das músicas, mas nem sempre é assim. "Não deixo o cliente escolher para não ser música batida, U2, Coldplay", conta Alê Cavaliere, da produtora de mesmo nome. A trilha geralmente sai do repertório de bandas independentes e de sites especializados em cinema e publicidade.

Antes do casório, a produtora aplica até um questionário sobre gostos pessoais, filmes preferidos, como os noivos se conheceram. É o que faz a Goiabada com Queijo Filmes, do Rio. "Hoje em dia, o vídeo do casamento se assemelha a um documentário, conta a história de cada casal. O casamento é o pano de fundo", diz Túlio Thomé, um dos sócios.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.