Casal acusa concessionária de racismo

Um casal acusa funcionário da Autokraft, concessionária da BMW na Barra da Tijuca, no Rio, de racismo. No dia 12, a professora Priscilla Celeste e o consultor Ronald Munk foram à loja com seu filho de 7 anos, que é adotado e negro. O menino ficou vendo TV enquanto os pais eram atendidos. Quando ele se aproximou, segundo o casal, o vendedor disse ao menino: "Você não pode ficar aqui dentro. Aqui não é lugar para você". O caso não foi registrado na polícia porque o casal aguardava uma retratação. Sete dias depois, a loja mandou e-mail ao casal, afirmando que "tudo não passou de um mal-entendido". Indignado, o casal criou a página no Facebook "Preconceito racial não é mal entendido". Procurada pelo Estado, a concessionária não se manifestou. / FÁBIO GRELLET

O Estado de S.Paulo

24 Janeiro 2013 | 02h03

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.