Casa noturna teve outros casos de morte neste ano

A boate Vitrini Show, na Vila Matilde, zona leste de São Paulo, foi cenário de outros dois assassinatos em maio deste ano, além da morte de um vendedor na madrugada desse domingo, 24. Ewerton Leandro de Castro Nogueira, de 25 anos, foi espancado até a morte e encontrado por volta das 4h30 em uma vala a 30 metros da boate, após se envolver em uma discussão dentro da balada.

Mônica Reolom, O Estado de S.Paulo

26 Novembro 2013 | 02h09

No boletim de ocorrência registrado em maio, um ajudante de 31 anos e um balconista de 29 foram baleados após saírem da casa noturna, por volta das 5h. Um carro teria passado e atirado nos dois homens, que morreram na hora. O caso foi encaminhado ao Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP).

Investigação. Evandro Éboli, delegado do 21.º DP que está investigando a morte de Nogueira, ouviu nessa segunda-feira, 25, os proprietários da boate, além de outras testemunhas que estavam na festa. Ele trabalha com a hipótese de envolvimento dos seguranças da boate no crime. "Ainda não temos nenhum indício de autoria. Sei que é um fato de repercussão, mas estamos ainda no início da investigação."

Uma hora antes de o corpo ser encontrado, Nogueira estava na pista de dança com outros amigos, quando resolveu tirar satisfações com um grupo do camarote, que jogava gelo nas pessoas embaixo. Os seguranças perceberam a confusão e o colocaram para fora da casa, junto com dois amigos.

Segundo um amigo da vítima que não participou da discussão, Nogueira foi levado pelos seguranças para uma sala. Quando o jovem saiu da casa noturna, viu um tumulto próximo da entrada do estabelecimento e, quando se aproximou, encontrou o amigo caído e desacordado em uma vala. Ele foi aconselhado pelas pessoas ao redor a ir embora, pois o grupo que havia batido no vendedor poderia fazer isso com ele também.

Os proprietários da Vitrini Show disseram ontem, em nota, que prestaram "todas as informações à autoridade policial competente relativas ao caso", além de colocar à disposição as imagens do circuito de câmeras de segurança. "Em momento algum o sr. Ewerton foi agredido dentro do estabelecimento, fato este confirmado pelas imagens deixadas com a polícia", afirma a nota. A polícia vai analisar as imagens.

Mais conteúdo sobre:
Vitrini Show

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.