Casa é adaptada para gastar menos

Biólogo do Butantã tem de cisterna a mictório

Vitor Hugo Brandalise, O Estado de S.Paulo

03 Julho 2011 | 00h00

Pouco a pouco, o biólogo César Pegoraro, de 38 anos, melhorou a estrutura de sua casa, no Butantã, zona oeste da capital, sempre buscando consumir menos água.

Primeiro, transformou a antiga caixa d"água em cisterna no jardim. A cada chuva, guarda 800 litros, usados para regar a horta que plantou no quintal. A água também serve para lavar a calçada. Depois, trocou as cinco torneiras de casa: colocou um dispositivo que adiciona ar entre os jatos d"água. Assim, o consumo de água caiu a um terço dos de torneiras comuns.

E o "requinte" veio quando reformou o banheiro: construiu um mictório ao lado do vaso sanitário - o que diminuiu em 92% o gasto de água por descarga.

"A conta interessa menos. O melhor é o bom exemplo para os filhos, mesmo com atitudes tão simples", diz. São lições que João Pedro, de 6, recebe sem precisar sair de casa - no banheiro, a criança ganhou até banquinho, que usa para alcançar o mictório. "Na próxima reforma, vou instalar a cisterna no telhado e usar a água para lavar alguns tipos de roupa."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.