Cartilha na internet dá dicas para viajantes

A Associação Brasileira de Defesa do Consumidor (Proteste) lançou anteontem uma cartilha sobre os direitos do turista. Está disponível apenas na internet, para download, no endereço www.proteste.org.br/cartilhas.

O Estado de S.Paulo

06 de dezembro de 2012 | 23h50

A ideia é esclarecer dúvidas sobre o dia a dia do turista, incluindo dicas de aluguel de casa por temporada até como proceder em caso de furto de objetos pessoais em hotéis. "Temos de começar a tratar o turista como um consumidor especial", diz Maria Inês Dolci, coordenadora da Proteste.

"O nível dos nosso serviços têm de melhorar, do restaurante ao aeroporto. É uma área que ainda deixa muito a desejar no País que vai receber a Copa das Confederações (2013), o Mundial (2014) e as Olimpíadas (2016)."

Entre as dicas, informações sobre o pagamento de gorjeta em bares e restaurantes e a cobrança de couvert artístico. "A casa terá de afixar dados sobre esse pagamento em local visível", diz a cartilha. Sobre a corrida de táxi, a instrução é que o turista "não aceite a cobrança de preços fechados, a não ser que esteja em uma cidade com menos de 50 mil habitantes".

"Já tentaram me cobrar um preço fechado para uma corrida até a rodoviária no Rio. Desconfiei. Depois, na saída de um show, aconteceu de novo", conta o estudante Maurício Diaz, de 24 anos.

A insegurança das grandes cidades também está contemplada. "Seja sempre discreto, principalmente com relação aos bens mais visados dos turistas, como máquina fotográfica, filmadora, passaporte e dinheiro. Preste atenção aos seus bens e às pessoas que estejam à sua volta, desconfiando daquelas que o abordem repentinamente. Nunca leve uma grande quantia em dinheiro. Guarde no cofre do hotel a maior parte do dinheiro."

O manual não tem versão em inglês, mas a coordenadora da Proteste diz que anfitriões brasileiros podem ler e "repassar as informações".

As casas de aluguel por temporada também merecem atenção. "Não confie cegamente em fotos ou imagens na internet. Visite o imóvel antes da locação para conferir se a proposta corresponde à realidade. Se não houver condições para tal, peça indicações de quem já o alugou. Combine o preço com antecedência e desconfie de valores muito abaixo do mercado."

Onde reclamar. A cartilha também lista uma série de telefones e sites pelos quais o consumidor pode registrar formalmente uma reclamação. / N.C

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.