Cartão de crédito clonado

LEITORA CONTESTA VALORES COBRADOS PELA CAIXA

O Estado de S.Paulo

27 Dezembro 2011 | 03h03

No início do ano, o cartão adicional do meu marido da Caixa Econômica Federal foi clonado. Escrevi uma carta ao banco explicando o problema, indicando que eu não reconhecia as compras referentes a passagens aéreas. Meu marido entrou em contato com a central e foi orientado a pagar somente o que reconhecia. Paguei, então, apenas valor de minhas compras. Em agosto recebi uma fatura enorme, não condizente com o valor real dos gastos. Nos contatos telefônicos sempre fui informada de que o que fora cobrado a mais já havia sido estornado. Isso não é verdade, pois a última fatura cobrou R$ 5.279,70 e o valor correto seria R$ 2.401,17. Só quero pagar o valor justo.

ANDREA MARTELLETTI / SÃO PAULO

A Caixa Econômica informa que em 18/2 o cartão foi bloqueado por medida de segurança. Imediatamente as compras não reconhecidas foram suspensas e foi efetuado um ajuste de crédito em favor da cliente no valor total das suas despesas, visível na fatura de março. Em 25/5 houve mais um crédito a favor da cliente. Como um dos estabelecimentos enviou mais um crédito, gerou uma duplicidade credora, sendo possível verificar nas faturas que houve esses lançamentos a seu favor. Ou seja, o valor cobrado da cliente foi o creditado em duplicidade. Todas as despesas contestadas foram regularizadas, e o saldo no cartão está correto.

A leitora discorda: O que a Caixa não entende é que, quando o pagamento foi suspenso e até que o dinheiro fosse estornado, continuei pagando o valor referente às minhas compras. Tento negociar os valores realmente devidos e não recebo nenhuma resposta. Não sei mais o que fazer.

OBRA NA ESTAÇÃO LUZ

Quando será concluída?

Moro em Santo André e estudo na Cidade Universitária. Parte desse percurso eu faço de trem pela Linha-10 Turquesa, do Rio Grande da Serra até a Estação da Luz. Por causa das reformas na estação, essa linha passou a operar só até o Brás. Para seguir à Luz é preciso pegar o Expresso Leste, Linha-11. Essas obras começaram em agosto e o prazo para conclusão era de 60 dias. O prazo passou e o problema persiste. Reclamei várias vezes e a CPTM nunca informa a data em que a linha voltará a funcionar. A Linha-11 está sempre lotada e o embarque na Estação Brás é horrível. Há mais de 2 meses que eu não vejo ninguém trabalhando na obra, porém a CPTM informa que as obras continuam em execução e que está empenhada em concluir as intervenções de forma eficiente e rápida.

LUÍS FERNANDO RAGOGNETTE

/ SANTO ANDRÉ

A Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) informa que as obras de modernização das vias na região da Luz foram concluídas. Simultaneamente ao período de realização dessas obras, houve significativo crescimento na demanda de usuários, com a entrada em operação da Linha 4-Amarela do Metrô integrada à Estação Luz. Explica que a CPTM realizou pesquisa, na qual coletou dados sobre a movimentação de usuários com a nova configuração e está reavaliando a estratégia operacional para a Linha-10

Turquesa, com terminal na Estação Brás. A CPTM reitera que trabalha para melhorar o sistema.

O leitor analisa: Em nenhum momento a CPTM explica por que uma obra prevista para durar 60 dias demorou mais de 150. Além disso, fala sobre o aumento dos usuários na Estação da Luz com o funcionamento da Linha-4, Amarela. Acredito que isso já era esperado e que tanto a CPTM quanto o Metrô se prepararam para esse aumento. Ainda mais com tantos atrasos da Linha-4.

Aguardo ansioso o retorno dos trens que operam na Linha-10 Turquesa da CPTM. Por causa da obras, os trens dessa linha só prestam serviço até a Estação Brás. Obrigatoriamente sou obrigado a fazer transferência nos trens lotados, que vêm de Guaianazes. Como não vejo ninguém trabalhando na linha, o que impede a chegada dos trens da Linha 10 até a Estação Luz?

JOEL LOURENÇO /SÃO PAULO

A CPTM informa que está concluindo as obras de modernização das vias na região da Estação da Luz. No momento, os novos equipamentos instalados estão sendo testados e a equipe realiza serviços para eliminar pendências não interditivas. Por isso, a circulação de trens naquele trecho continua interrompida. Portanto, os usuários da Linha 10, com destino à Luz, ainda precisam fazer a transferência para a Linha 11-Coral, na Estação Brás. Foram implantadas algumas estratégias operacionais para organizar o fluxo de usuários durante esse processo.

O leitor questiona: Quando é que essas obras vão ficar prontas? E quando os usuários que utilizam a Linha 10-Turquesa poderão seguir diretamente para a Estação da Luz?

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.