Carros da PM terão dados de ladrões de condomínios

Medida é parte de programa lançado para combater esse tipo de crime

Marcelo Godoy, O Estado de S. Paulo,

03 de setembro de 2009 | 09h54

Todos os carros da Polícia Militar vão carregar os dados dos ladrões e dos roubos a condomínio ocorridos nos últimos 30 dias. A medida faz parte do Programa de Prevenção e Repressão de Roubos a Condomínios adotado ontem pela Secretaria da Segurança Pública. Também foi decidido que a Coordenadoria de Análise e Planejamento (CAP) criará um banco de dados para armazenar os dados sobre esses crimes.

 

Veja também:

especialEspecial: Veja números dos crimes contra residências na capital

linkSP resolve só 20% de roubos a condomínios, diz governo

Na semana passada, a secretaria já havia anunciado a criação de uma delegacia que concentraria os casos de roubos contra condomínios - a 4ª Delegacia de Crimes Contra o Patrimônio, que teve suas atribuições redefinidas.

O programa de combate aos roubos, criado por meio de resolução do secretário Antonio Ferreira Pinto, definiu roubos a condomínio como a "ação que tenha por alvo uma ou mais unidades de um mesmo condomínio, ainda que a abordagem à vítima ocorra em local externo, visando à facilitação do ingresso na área condominial".

Todos os casos passarão a contar com o trabalho conjunto entre os Departamentos de Polícia Judiciária na Capital (Decap) e de Investigações sobre o Crime Organizado (Deic). Equipes de policiais serão despachadas para os locais do crime assim que eles ocorram para reunir a maior quantidade possível de dados sobre o caso.

São esses dados - como os carros e objetos roubados, além da descrição física dos ladrões - que serão repassados à Polícia Militar para que todas as viaturas que patrulham a cidade mantenham um arquivo com os casos ocorridos nos últimos 30 dias. "A ideia é garantir rapidez na apuração, pois quanto mais rápido o policial começa a apuração, maior a possibilidade de sucesso", afirmou o delegado Marco Antônio de Paula Santos, diretor do Decap.

O programa vale tanto para condomínios verticais quanto para os horizontais. Além do Deic e do Decap também serão informadas de imediato as Polícias Rodoviárias Estadual e Federal. A Academia da Polícia Civil criará em 45 dias um curso para treinar policiais para trabalhar com esse tipo de delito.

De 1º janeiro de 2008 a 30 de junho deste ano ocorreram 223 casos dos chamados "roubos sofisticados" a residências no Estado. Os dado foram reunidos em um estudo feito pela CAP e entregue à polícia. Segundo a coordenadoria, cerca de 35% deles foram praticados por quadrilhas bem estruturadas, enquanto 65% foram obra de bandos semiamadores.

Nos casos dos roubos a residência, a polícia decidiu adotar tática semelhante à dos condomínios para tentar evitar novos casos como os dos assaltos às casas dos secretários de Estado Guilherme Afif Domingos (Emprego e Relações de Trabalho) e Luiz Roberto Barradas (Saúde) e do filho do deputado estadual Antônio Salim Curiati.

Mais conteúdo sobre:
PMcarrosladrõescondomínio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.