Germano Schonfelder/Futura Press
Germano Schonfelder/Futura Press

Carros aparecem após água baixar em pedreira do interior de SP

Veículos serão removidos para passar por perícia, informou a polícia; firma que fazia esgotamento do local parou o trabalho

João Prata, O Estado de S.Paulo

16 de setembro de 2020 | 23h55

Pelo menos 15 carros foram encontrados na pedreira desativada em Salto de Pirapora, no interior de São Paulo. A descoberta foi feita pela concessionária Águas de Araçoiaba na segunda-feira, 14, enquanto captava água para bombear para o Rio Pirapora. A Polícia Civil informou, por meio de nota, que trabalha para identificar a origem dos automóveis e os seus donos. Devem ser analisados os chassis dos veículos para saber a procedência.

Os veículos serão removidos do local para serem analisados e passarem por laudos periciais, mas ainda não há prazo para a remoção. Desde o início da investigação, a concessionária informou que retirou todo o seu material do local e abandonou a área, que é particular – pertence a uma fábrica de cimentos da região.

A pedreira tem cerca de 30 metros de profundidade. Por causa do período de seca na região, a concessionária foi contratada para bombear água do local e enviá-la ao Rio Pirapora, que abastece Salto de Pirapora, Piedade e Araçoiaba da Serra. O trabalho estava sendo realizado desde a última quarta-feira. No início da semana, quando a água baixou, foi possível ver alguns dos carros. Ainda há outros que estão submersos.

O interior paulista enfrenta uma grave seca. Estima-se que o Rio Pirapora esteja com 60% do seu volume. Além disso, a concessionária identificou despejo irregular de esgoto no manancial. O bombeamento da água da pedreira também tinha como objetivo ajudar na diluição desses dejetos.

Em 2012, duas pessoas morreram no mesmo lugar quando faziam um mergulho no lago da pedreira. O corpo dos dois homens só foi achado por equipes de resgate. Por causa da seca, a cidade de Sorocaba começou na quarta-feira, 16, um rodízio no abastecimento de água. Os bairros Éden, Cajuru, Aparecidinha e a zona industrial serão afetados pela medida.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.