Polícia Civil
Polícia Civil

Quadrilha com armas de guerra ataca carro-forte na Bandeirantes

Ao menos duas pessoas foram presas na capital paulista após a ocorrência em Itupeva, no interior de São Paulo; suspeitos não levaram valores

Felipe Cordeiro, José Maria Tomazela e Mateus Fagundes, O Estado de S.Paulo

22 Fevereiro 2017 | 04h02
Atualizado 22 Fevereiro 2017 | 17h46

SÃO PAULO E SOROCABA - Uma quadrilha fortemente armada cercou e atacou um comboio com dois carros-fortes, na noite desta terça-feira, 21, na Rodovia dos Bandeirantes, em Itupeva, no interior de São Paulo. Os seguranças reagiram e houve tiroteio. Perseguidos por policiais rodoviários, os criminosos roubaram os carros de dois policiais e fugiram em direção à capital.

Um radar inteligente flagrou a passagem do veículo e forneceu coordenadas à polícia. Depois de novos tiroteios, um carro com dois suspeitos foi encurralado e, um posto de combustível, na Marginal do Tietê, na capital. Eles tomaram frentistas como reféns, mas foram presos.

O cerco aos carros-fortes começou às 21 horas no km 74 da rodovia, logo após a praça de pedágio de Itupeva. Os veículos da Protege levavam dinheiro de Campinas para São Paulo.

Em quatro automóveis, um deles blindado, os bandidos usaram fuzil ponto 50, arma de guerra, para tentar avariar o motor do primeiro carro-forte, mas os tiros só atingiram a lataria. Após a reação dos seguranças, viaturas da Polícia Militar Rodoviária iniciaram a perseguição aos bandidos. 

O grupo se dividiu e uma parte entrou em Itupeva, após roubar o carro de um policial federal. Na saída da cidade, os criminosos abandonaram esse carro e roubaram outro, de um policial militar.

A fuga teria sido bem-sucedida, não fosse o radar inteligente instalado em um dos acessos à capital. "Policiais da Força Tática souberam do veículo roubado, por meio do sistema de videomonitoramento inteligente Detecta, e fizeram o acompanhamento", declarou, em nota, a Secretaria da Segurança Pública (SSP) de São Paulo.

O carro foi localizado na região do Tatuapé, na zona leste, e teve início nova perseguição. Os bandidos fizeram disparos com fuzis, mas acabaram cercados no posto. Os dois suspeitos foram presos, após rápida negociação. Os frentistas tomados como reféns nada sofreram.

Armas. Segundo a SSP, com os suspeitos, foram localizados dois fuzis e uma pistola. Os veículos roubados e um automóvel abandonado na praça do pedágio foram recuperados. Cerca de 20 explosivos foram localizados dentro dos carros. 

O caso foi registrado na 5ª Delegacia da Divisão de Investigações sobre Crimes contra o Patrimônio, do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic).

Em nota, a Protege informou que seus colaboradores estão em segurança e a empresa está à disposição das autoridades para ajudar nas investigações em curso.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.