Carro cai em córrego e 2 morrem durante chuva

Acidente ocorreu em Americanópolis, na zona sul e ainda deixou criança e mulher feridas; no mesmo horário, faltou luz em parte de Pinheiros

Damaris Giuliana, Josmar Jozino, O Estado de S.Paulo

26 de outubro de 2010 | 00h00

Um casal morreu ontem após o carro em que estava ser arrastado pela enxurrada para o Córrego Zavuvus, em Americanópolis, zona sul de São Paulo. A chuva havia causado o transbordamento do córrego. Uma mulher e uma criança que também estavam no veículo foram salvas por moradores e levadas em estado de choque a um pronto-socorro. As idades das vítimas não haviam sido divulgadas até 1 hora de hoje.

Segundo testemunhas, às 21 horas o Monza prata ocupado pelas vítimas trafegava pela Rua Delfino Facchina quando os moradores gritaram para o motorista não prosseguir, pois o córrego havia transbordado. O condutor continuou e logo em seguida o veículo foi arrastado pelas águas do Zavuvus. O casal morreu.

Segundo o vendedor Sérgio Augusto Oliveira, de 36 anos, morador do bairro, choveu forte por 40 minutos na região, causando uma série de estragos. "Muitas casas ficaram alagadas e os moradores perderam quase tudo. Algumas pessoas tiveram de sair pelo telhado das casas. Em outros imóveis, a força da água quebrou as paredes."

As mortes de ontem não foram as primeiras causadas pelo transbordamento do Zavuvus neste ano. Em fevereiro, Jeovanice Marques de Carvalho, de 52 anos, morreu afogada dentro de casa, na Rua Jorge Rubens Neiva de Camargo.

Atenção. A chuva da noite de ontem deixou toda a capital em estado de atenção por cerca de uma hora. Houve queda de granizo na Estrada do Campo Limpo. O Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE) registrou quatro pontos de alagamento, todos na zona sul. Faltou luz no entorno da Rua Cristiano Viana, em Pinheiros (zona oeste), mas até o fim da noite a Eletropaulo não sabia informar se o problema havia sido causado pela chuva. O Aeroporto de Congonhas, na zona sul, ficou fechado das 20h48 às 21h17. A operação era feita por instrumentos.

PARA LEMBRAR

Prefeitura teme mais um verão chuvoso

Há exatamente quatro semanas, o prefeito Gilberto Kassab garantiu que "a cidade está mais bem preparada para as enchentes". A Prefeitura havia recebido, no entanto, relatórios meteorológicos que indicam um período de temporais a partir do início de dezembro semelhante ao do verão passado, quando choveu por 54 dias ininterruptos na cidade e pelo menos 3 mil famílias ficaram desabrigadas apenas no Jardim Romano, na zona leste.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.