Luiz Guarnieri/AE
Luiz Guarnieri/AE

Carro atinge poste e pega fogo na Avenida Sumaré

Com o choque, o poste veio abaixo e o veículo pegou fogo; motorista aparentava sinais de embriaguez

Ricardo Valota e Pedro da Rocha, do estadão.com.br,

14 Julho 2011 | 05h59

SÃO PAULO - Um carro, modelo Mercedes Benz Kompressor preto, bateu e derrubou um poste na madrugada desta quinta-feira, 14, na Avenida Sumaré, zona oeste de São Paulo. Após o contato com a fiação elétrica, o veículo pegou fogo.

 

O motorista, Daniel Zezza Zuolo, de 39 anos, aparentava sinais de embriaguez e se recusou a fazer o teste do bafômetro. Ele não teve ferimentos graves no acidente.

 

Dois passageiros, que estavam sem cinto de segurança no momento da batida, conseguiram sair andando do carro, mas foram encaminhadas ao Hospital das Clínicas com ferimentos leves.

 

O Corpo de Bombeiros enviou cinco equipes ao local. O condutor do Mercedes foi levado por policiais à delegacia. Como ele tinha sinais de embriaguez, o delegado plantonista o encaminhou ao Instituto Médico Legal (IML) para ser submetido a exames de dosagem alcoólica. "Ele (o motorista) me disse que tinha tomado apenas dois 'chopinhos'", contou o delegado Giuliano de Migueli.

 

Zuolo disse que foi fechado por um veículo, tentou desviar e acabou atingindo o poste. "Eu estava apenas um pouco acima dos 60 km/h permitidos na via. A polícia vai ver que estou falando a verdade quando verificar os radares instalados da avenida", afirmou o motorista.

 

A velocidade máxima permitida na Avenida Sumaré é de 60 km/h. Já, segundo o delegado, uma testemunha afirmou que o motorista deveria estar a mais de 100 km/h.

 

Interdição. Por conta do acidente, a pista da Avenida Sumaré, sentido Barra Funda, ficou totalmente bloqueada entre as 3h45 e 8h08 desta quinta-feira./COLABOROU PRISCILA TRINDADE

 

Atualizada às 10h30

Mais conteúdo sobre:
Acidente, Sumaré, trânsito,

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.