Carreta que bateu em ônibus de estudantes estava na contramão

Laudo do Instituto de Criminalística de Araraquara será anexado a inquérito que apura o acidente que matou 13 pessoas em Ibitinga

Rene Moreira, Especial para O Estado

03 de novembro de 2014 | 16h10

FRANCA - Foi finalizado pelo Instituto de Criminalística de Araraquara (SP) o laudo pericial relacionado ao acidente registrado na semana passada em Ibitinga (SP) que deixou 13 mortos. O documento aponta que o caminhão tanque que colidiu contra o ônibus que levava alunos e professores estava na contramão.

O acidente ocorreu no quilômetro 370 da Rodovia Leônidas Pacheco Ferreira (SP-304) e a polícia tentará descobrir agora o que fez o caminhoneiro mudar de pista. No momento da colisão não foi possível precisar a velocidade do caminhão, pois o tacógrafo ficou destruído. O ônibus trafegava a 84 km/h.


O trecho está em obras e, segundo o Departamento de Estrada de Rodagem (DER), a velocidade máxima permitida no local é de 60 km/h. O acidente aconteceu no dia 27 de outubro. O ônibus colidiu de frente com o caminhão que levava óleo vegetal e pegou fogo. Já o coletivo transportava estudantes e professores de Borborema (SP) que haviam viajado para conhecer São Paulo. Dos feridos, três continuam internados.

Laudos. No desastre morreram oito estudantes, de 15 a 17 anos, uma diretora de escola e três professoras, além de uma fotógrafa. O ônibus havia sido fretado pela Diretoria Regional de Ensino e a companhia responsável pelo veículo informou que somente se posicionará após o fim das apurações e a conclusão do laudo que encomendou em separado.

O laudo do IC de Araraquara é assinado pelos peritos criminais Sandro Rampim Viola e Edson Churuyoshi Chinen e foi emitido na tarde de sexta-feira, 31.

 

Tudo o que sabemos sobre:
IbitingaSão PauloBorborema

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.