Carreta desgovernada arrasta 20 veículos e fecha Raposo por 2h20

Acidente aconteceu no km 29, em Cotia, por volta das 18h; no sentido oposto, curiosidade causou 10 km de filas

CAIO DO VALLE, O Estado de S.Paulo

20 Dezembro 2011 | 03h03

Uma carreta desgovernada arrastou, por volta das 18 horas de ontem, 20 veículos que trafegavam na pista sentido São Paulo da Rodovia Raposo Tavares, em Cotia, na Grande São Paulo. O acidente aconteceu na altura do km 29. Com o choque, dois automóveis, um Audi e uma Kombi, foram arrastados para cima da mureta de concreto que divide as pistas nos sentidos interior e capital. Três pessoas tiveram ferimentos leves, segundo a Polícia Militar.

A pista teve de ser totalmente interditada para que o Corpo de Bombeiros e as Polícias Militar e Rodoviária pudessem prestar socorro às vítimas e retirar veículos da via. A liberação do tráfego só ocorreu 2h20 minutos depois do acidente.

Um grande congestionamento foi formado na estrada por volta das 19 horas. Muitos motoristas tentavam dar marcha à ré para fugir do trânsito parado. Outros saíram dos veículos para aguardar a liberação da viagem. No sentido oposto, havia quase 10 quilômetros de filas, por causa da curiosidade dos motoristas.

"O freio funcionou, mas o caminhão estava pesado, com 25 toneladas de carne. Precisava de mais 150 metros para parar", disse o motorista da carreta Claudinei da Silva Paion, de 36 anos. De acordo com ele, que transportava a carga de Mairinque para São Paulo, o acidente aconteceu porque o trânsito estava parado e no local havia uma curva depois da descida, o que o impediu de enxergar os veículos à frente. Ele acredita que, se houvesse acostamento naquele trecho, provavelmente poderia ter desviado a carreta.

Pendurados. Um dos sete integrantes da Kombi, o eletricista Jaílton Santos, de 35 anos, disse que teve um dos maiores sustos da vida. "A gente acabou parando em cima da mureta, pendurado sob o rio. Tentamos sair pela porta da frente, mas vimos que não dava porque senão iríamos cair lá embaixo", comentou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.