Carolina Dieckmann teve as fotos roubadas por hackers

A Polícia Civil encontrou os suspeitos do furto e da divulgação de 36 fotos pessoais da atriz Carolina Dieckmann na internet. Entre eles estão um menor de idade, cujo nome não foi revelado, e um jovem de 20 anos, Leonam Santos, conforme informou ontem reportagem do Fantástico, da Globo. Segundo a Delegacia de Repressão de Crimes da Internet, a atriz foi vítima de hackers. Os suspeitos responderão por furto, extorsão qualificada e difamação. Se condenados, podem pegar até 15 anos de prisão.

SABRINA VALLE / RIO, O Estado de S.Paulo

14 de maio de 2012 | 03h02

A investigação mostrou que as fotos foram furtadas da caixa de mensagens da atriz. Um software mal intencionado foi instalado no computador de Carolina, provavelmente depois de abrir uma mensagem do tipo spam. O programa mascarado permitiu aos hackers acessar o computador da atriz e roubar fotos, possivelmente da caixa de e-mails enviados. Ao todo, 60 arquivos foram furtados.

O crime, no entanto, deixou rastros. Com técnicas de contraespionagem, os agentes descobriram o número de IP (a impressão digital de computadores) dos hackers e chegaram às cidades do interior de Minas e de São Paulo. Também são suspeitos Diego Cruz, de 25 anos, que admite ter passado as fotos adiante, e Pedro Henrique Mathias, dono do site que teria publicado inicialmente as imagens.

Santos negou o crime. Eleé investigado em outro caso envolvendo desvio de dinheiro. Já o menor de idade teria feito as ligações para chantagear a atriz.

Mensagens. Uma troca de mensagens entre os suspeitos pela internet, capturada pela polícia, mostra que dois deles aparentemente não sabiam da extorsão contra a atriz - uma pessoa pedia R$ 10 mil para não divulgar as fotos. Os acusados conversavam sobre a repercussão que o caso ganhou e chegaram a fazer piadas sobre a possibilidade de serem encontrados pela polícia. Em determinado momento, um deles brinca que espera uma visita do outro, "na cadeia". O interlocutor responde com risos.

Para entender. A empregada de Carolina foi quem atendeu o primeiro telefonema do criminoso. Em seguida, duas fotos foram enviadas ao empresário da atriz, que vinha sendo orientada por um especialista em segurança para marcar um encontro pessoal com o criminoso, para que fosse configurado um flagrante. Antes disso, as imagens foram parar na internet, o que surpreendeu a atriz. A primeira suspeita recaía sobre a assistência técnica pela qual o micro havia passado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.