Carecas são presos com armas brancas e panfletos homofóbicos

Grupo de quatro jovens abordado pela polícia na rua Augusta portava socos ingleses, machadinha e bastão

Oswaldo Faustino, do estadao.com.br,

04 de novembro de 2007 | 09h52

Um grupo de quatro jovens portando um pequeno arsenal de armas brancas foi detido pela polícia na noite de sábado, 3, nos Jardins, em São Paulo.   Afirmando pertencer ao bando "Carecas do Subúrbio", os rapazes carregavam dois "socos ingleses", uma machadinha e um bastão de beisebol. Os quatro foram levados para a delegacia da Consolação (4º DP).   A prisão foi feita por PMs que desconfiaram do comportamento dos jovens, que andavam rapidamente pela rua Augusta, próximo a avenida Paulista. Os conflitos entre punks, skinheads e outras gangues que manifestam intolerância têm deixado a polícia mais atenta, principalmente na região dos Jardins.   Além das armas, os quatro skinheads usavam caneleiras de tae-kwon-do e faixas de proteção de uso comum por boxeadores.   Com eles os policiais apreenderam dois panfletos contendo textos de ideais nacionalistas e contrários ao homossexualismo. Marlon Regis Trindade dos Santos, de 25 anos, Regis Nogueira Alcântara Alves, de 24, Helton Magalhães Dias, de 22, e José Laert Barbosa, de 20, afirmaram que não pretendiam agredir ninguém, mas que levavam as armas brancas por prevenção, para reagir caso fossem atacados por bandos rivais.   Segundo a polícia a atitude deles era de quem já possuía um alvo e seguia diretamente para o local onde pretendia agredir alguém. Eles negam. Dizem que o grupo a que pertencem segue ideais simplesmente nacionalistas e que muitos chamam de neonazistas.   O delegado de plantão lavrou um Termo Circunstanciado e apreendeu as armas que eles portavam. Eles devem responder ao processo em liberdade.

Tudo o que sabemos sobre:
skinheadspunksintolerânciahomofobia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.