Caravana sai em busca de pacientes

Se o paciente não vai ao hospital, o hospital vai até o paciente. Esse poderia ser o mote de uma nova iniciativa adotada pelo Hospital de Câncer de Barretos - centro médico no interior paulista que é uma referência em tratamento da doença para pacientes carentes de todo o País -, que decidiu sair em busca dos casos hereditários de câncer.

Giovana Girardi, O Estado de S.Paulo

15 Maio 2013 | 02h00

Um projeto ambulante, que oferece exames de prevenção para os mais diversos tipos de câncer em pequenas cidades de São Paulo, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Goiás, Bahia e Rondônia, tenta também identificar pacientes com histórico familiar de tumores para incluí-los em programas de prevenção.

Indicações. Se a pessoa teve algum câncer quando jovem (antes dos 50 anos), se há outros casos na família próxima ou em outros parentes, há uma indicação para o teste genético, que pode ser feito em Barretos. O exame é gratuito ao paciente e bancado pela Fundação Pio XII, que financia o hospital

Em caso positivo de mutação, o paciente recebe a orientação de tratamento preventivo, que pode incluir cirurgias redutoras de risco, explica o médico Danilo Vilela, do Departamento de Oncogenética. Das cerca de 30 mil mulheres recebidas nas unidades fixa e móveis, 15% delas foram convidadas a participar de uma avaliação mais aprofundada.

Cirurgia. O hospital também realiza o teste genético em todos os seus pacientes já diagnosticados com câncer e tratados no hospital que tragam alguma indicação de que o problema pode ser hereditário. Em teste positivo, todos os familiares próximos - filhos e pais -, mas também primos e tios, são convidados a fazer o teste.

"Tentamos estender para o máximo possível. E aqui mesmo já fazemos a cirurgia profilática para mama e ovário. Isso poupa vidas. Poupa sofrimento."

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.