Capitão da PM é morto em assalto na Vila Matilde

A sua mulher, também policial, foi atingida no braço, teve a arma roubada pelos assaltantes e foi encaminhada a um pronto-socorro

O Estado de S. Paulo

28 Julho 2014 | 08h00

SÃO PAULO - Um capitão da Polícia Militar foi morto na noite deste domingo, 27, com um tiro na cabeça durante um assalto na Vila Matilde, na zona leste de São Paulo. A mulher dele, também capitã da PM, ficou ferida após ser atingida no braço pelos assaltantes que tentavam roubar o carro dos policiais. Dois adolescentes foram detidos e um terceiro suspeito está foragido.

O casal, que estava de folga, foi surpreendido enquanto chegava em casa na Rua Maestro Ernesto Lahos, por volta das 22h. No assalto, o capitão Luiz Telmo Pessoa Rodrigues, da Diretoria de Pessoal, levou um tira na cabeça e a sua mulher, a capitã Gladys Barros da Silva, foi alvejada no braço. Os dois foram encaminhados ao Pronto-Socorro do Tatuapé, na zona leste, mas o capitão Pessoa não resistiu aos ferimentos e morreu. Segundo a PM, o estado de saúde da capitã Gladys é estável.

Um adolescente de 17 anos e outro de 14 foram detidos e encaminhados ao 10º Distrito Policial (Penha), onde permanecem presos. A Polícia Militar ainda não tem informações acerca do terceiro suspeito, que conseguiu fugir. Com os adolescentes, a polícia encontrou dois revólveres calibre 38. Um deles pertence à capitã Gladys e foi roubado durante o assalto.

O caso está sendo investigado pelo Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP) e pela PM Vítima, setor da Corregedoria da Polícia Militar para casos em que policiais são vítimas de crime.

Violência. Na manhã deste domingo, 27, outro policial militar de folga foi vítima de assalto e acabou baleado. Por volta das 6h, ele dirigia de moto na Marginal do Tietê, região da Freguesia do Ó, na zona norte, quando foi abordado por dois assaltantes. Os suspeitos também estavam em um moto. 

O PM reagiu à abordagem, mas foi ferido pelos assaltantes. Ele foi levado ao Pronto-Socorro do Hospital São Camilo e, segundo a PM, seu estado de saúde é estável.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.