Caos em Mirandópolis

Em Mirandópolis, na zona sul, as árvores não são podadas há anos, apesar de inúmeros pedidos para que o serviço fosse realizado. Houve uma obra da Sabesp e faltou água por três dias. O trânsito da região é infernal. Há carros parados nos dois lados da Avenida Senador Casemiro da Rocha. Também há caçambas na região e uma construção de garagem irregular. O poder público, por sua vez, não faz nada em prol do munícipe.

, O Estado de S.Paulo

14 de julho de 2010 | 00h00

YVETTE KFOURI ABRÃO / SÃO PAULO

A Subprefeitura Vila Mariana informa que a realização do serviço

de poda de árvore na Avenida Senador Casemiro da Rocha necessita de apoio da Eletropaulo, em virtude de os galhos estarem próximos

à fiação elétrica. Diz que aguarda o agendamento da concessionária. Os serviços de limpeza dos bueiros serão efetuados nos próximos dias. Informa que os serviços de manutenção da Praça Santa Rita de Cássia tiveram início em 1º/7 e, após a conclusão, serão feitos também na Praça Maria Margarida Baldy. Técnicos irão vistoriar a obra na Rua dos Crisântemos e, se forem encontradas irregularidades, as devidas providências serão tomadas. Os problemas sobre caçambas e iluminação serão encaminhados, respectivamente, ao Limpurb e

ao Ilume.

A AES Eletropaulo informa que poda somente os galhos de árvores que interferem na rede elétrica após autorização da Prefeitura e, até o momento, não foi registrado ofício da Prefeitura solicitando a realização da poda de galhos de árvore no local mencionado.

A leitora comenta: É um jogo de empurra-empurra. A Prefeitura é notificada desde 2006.

DESRESPEITO

Lazer e barulho

Acho louvável que escolas fiquem à disposição da população no mês de férias, proporcionando lazer às pessoas que, de outra forma, não poderiam tê-lo. Mas elas não devem se transformar em polos de ruído e desconforto à vizinhança. Moro ao lado da Escola Municipal Júlio de Mesquita, no Jardim Bonfiglioli, e no domingo, dia 4/7, fomos incomodados por um trio elétrico montado dentro do colégio. Sinto-me desrespeitado.

JOSÉ ANTONIO FILARDO / SÃO PAULO

A Diretoria Regional de Educação Butantã responde que a quadra da referida escola foi cedida, em 4/7, das 11 às 17 horas, para a realização de festa junina para as crianças de uma Escola de Educação Infantil da região. A festa contou com a presença de pais e professores e não há registro de nenhum incidente nem com a participação de trio elétrico. Em alguns finais de semana, ocorrem eventos no colégio aprovados em reunião do Conselho de Escola, que entende que os espaços da unidade devem ser usados pela comunidade.

O leitor comenta: O fato se repete todos os domingos. A escola fica aberta à prática de futebol de salão. Os frequentadores escutam música alta e gritam.

UM ANO SEM REEMBOLSO

Problemas com a Webjet

Solicitei à Webjet o reembolso de duas passagens canceladas em 26/4/2009, e até agora não tive a quantia estornada. Sempre ouço as mesmas respostas: "Seu reembolso foi aprovado no ano passado, mas ainda não tivemos posição do financeiro quanto ao estorno" ou "o estorno já foi efetuado", mas desde maio de 2009 a administradora do cartão diz que não recebeu nada. Nós, consumidores, se devemos alguns reais a alguma instituição temos problemas com nosso crédito e podemos ter nosso nome colocado na Serasa. E quando o problema é com uma empresa, o que ocorre? A cada tentativa de contato pelo telefone são mais de 10 minutos ouvindo música. No último contato, disseram que eu tinha menos de R$ 100 (nem 25% do valor pago) a receber. Porém, na época em que pedi o reembolso, fui informada de que pagaria R$ 40 de multa - paguei R$ 197 por cada passagem. Considero isso um roubo e um desrespeito, já que descontaram taxas sobre o valor original e não irão devolver meu dinheiro com correção monetária. Gostaria muito que me auxiliassem nesse caso, porque, depois de um ano, se for para receber trocado, prefiro remarcar a passagem (pela última vez na minha vida) com a Webjet!

NATASHA CANUTO

/ SÃO PAULO

A Webjet não respondeu.

A leitora informa: O problema não foi resolvido. A Webjet insiste em dizer que efetuou o estorno. Mas a operadora do cartão diz que não recebeu o dinheiro. Entrei em contato com ela e foi aberto um processo interno, em 1.º/7, para verificar o que a Webjet alega. Disseram que levariam até 7 dias úteis para concluir o caso, mas até agora não me deram uma resposta.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.