Tamiris Silva Gomes
Tamiris Silva Gomes

Cão é achado com patas mutiladas após fugir de casa no interior

População de Araraquara se uniu em campanha para bancar tratamento do animal, que corre o risco de ter os membros amputados

Rene Moreira, especial para o Estado

24 Outubro 2017 | 16h47

A violência sofrida por um cão gerou revolta e mobilizou a população de Araraquara, no interior de São Paulo. O animal, de nome Pingo, foi encontrado em um terreno baldio no sábado, 21, com as duas patas dianteiras mutiladas após ter fugido de casa. Ele está internado e corre o risco de ter as duas patas amputadas.

+++ Polícia resgata 135 cães vítimas de maus-tratos em canil de Osasco

"Foi uma cena assustadora, muito triste mesmo", conta o jornalista Sérgio Pinheiro Junior, que ajudou a socorrer o animal.

Segundo ele, como os proprietários não têm recursos para pagar o tratamento, uma campanha foi criada para arrecadar recursos.

+++ Cães tentam se comunicar com humanos por expressões faciais, diz estudo

 

No fim da manhã desta terça-feira, 24, R$ 4 mil já haviam sido arrecadados quase. O dinheiro foi usado para pagar os custos de atendimento ao animal, que somam R$ 3.495,70. "Não depositem mais nada", pede Pinheiro.

+++ 'Bandida perigosa': cadela rouba ração para alimentar outros cachorros

Ele diz que também estão suspensas as visitas à clínica veterinária onde Pingo está internado. "O local é pequeno e não comporta a grande quantidade de gente que estava indo ver o animal", explica.

+++ Cadela Martha ganha concurso de 'cachorro mais feio do mundo'

"Ele já começou a andar. Vou chorar se me lembrar das cenas", falou Pinheiro sobre a recuperação do cão. Ainda assim, o receio é grande sobre a possibilidade de amputação das patas. "Ele está sendo medicado e o jeito é torcer para que isso não seja preciso", diz.

 

Investigação

Tamiris Silva Gomes, dona do cachorro, conta que às vezes ele saía para dar uma volta, mas nunca aconteceu nada de errado. "Estou inconformada", falou. 

O caso foi registrado na Polícia Civil, mas ainda não há pistas do autor da violência. Segundo o veterinário que atendeu Pingo, também não é possível precisar que tipo de instrumento foi usado para causar as lesões, mas elas são bastante extensas. Por lei, o crime de maus-tratos pode render multa e até um ano de detenção.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.