Sérgio Castro/Estadão
Sérgio Castro/Estadão

Cantareira tem alta pelo nono dia seguido

Segundo a Sabesp, os reservatórios que compõem o sistema operam com 51,1% da capacidade, contra 50,7% nesta terça-feira

Luiz Fernando Toledo, O Estado de S.Paulo

24 Fevereiro 2016 | 09h56

SÃO PAULO - O nível do Sistema Cantareira, principal manancial de abastecimento da capital paulista e da Grande São Paulo, voltou a subir nesta quarta-feira, 24, e registrou o nono aumento consecutivo, segundo dados da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp). Outros dois mananciais registraram alta do volume de água armazenada, dois tiveram queda e um ficou estável. 

De acordo com a Sabesp, os reservatórios que compõem o Cantareira operam com 51,1% da capacidade, contra 50,7% nesta terça-feira, 23. Esses porcentuais, tradicionalmente divulgados pela companhia, consideram a reserva profunda como se fosse volume útil do sistema.

A última queda do nível do Cantareira foi no dia 22 de outubro, quando o volume de água represada desceu de 15,7% para 15,6%.

Nas últimas 24 horas, choveu sobre a região do Cantareira 0,8 mm. A cinco dias do fim de fevereiro, a precipitação no mês soma 184,3 mm - a média histórica para todo o mês é de 202,4 mm.

Segundo o índice que calcula a reserva profunda como volume negativo, o nível do manancial também avançou 0,4 ponto porcentual e passou de 21,4% para 21,8%. Já o terceiro índice atingiu 39,5%.

Outros mananciais. Usado para socorrer o Cantareira, o Guarapiranga teve alta de 0,3 ponto porcentual nesta quarta-feira e opera com 84,1% da capacidade. 

Por sua vez, o Alto Tietê registrou aumento de 0,2 ponto porcentual do volume de água armazenada e está com 31,9%, contra 31,7% do dia anterior. Os porcentuais consideram o volume morto adicionado em 2014.

Alto Cotia (110,2%) e Rio Grande (88,1%) registraram queda de 0,3 ponto porcentual cada. Rio Claro ficou estável em 83,8%.

Mais conteúdo sobre:
SÃO PAULO Grande São Paulo Sabesp Claro

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.