Nilton Fukuda/Estadão
Nilton Fukuda/Estadão

Cantareira tem 5ª alta consecutiva

Manancial opera com 16,3% da capacidade, considerando volume morto; sem reserva técnica reservatório está 13% negativo

O Estado de S. Paulo

13 de setembro de 2015 | 14h49

SÃO PAULO - O Sistema Cantareira subiu pelo quinto dia consecutivo, segundo o boletim diário da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp). Neste domingo, 13, o reservatório responsável pelo abastecimento de 5,2 milhões de habitantes, opera com 16,3% da capacidade, com um aumento de 0,3 ponto porcentual em relação ao dia anterior. O manancial em crise já ultrapassou a média de 86,6 milímetros de chuva esperada para o mês. Segundo a companhia, antes do final da primeira quinzena de setembro, as represas que foram o reservatório tiveram 108,9 milímetros de precipitação. 

Mesmo com a sequência de melhoras o Sistema Cantareira ainda está em crise, sem previsão de reverter o atual quadro se seco que se prolonga por quase dois anos. No cálculo negativo usado pela Sabesp, o reservatório opera com -13% da capacidade. A conta que o manancial aparece positivo leva em conta as duas cotas de volume morto, água que fica abaixo do nível das comportas e precisa ser bombeada para o abastecimento. 

Outros mananciais. O Sistema Alto Tietê também já ultrapassou a quantidade de chuva esperada para o mês. , assim como o Guarapiranga, atual responsável por atender o maior número de clientes da Sabesp. Neste domingo, o manancial marca 15,7% de sua capacidade, com um aumento de 0,4 ponto porcentual. Na Represa Guarapiranga, na zona sul de São Paulo, já choveu quase o dobro do esperado para setembro. O reservatório opera com 77,6% e o aumento foi de 1,2 ponto porcentual.  O Sistemas Alto Cotia, Rio Grande e Rio Claro também tiveram alta de 0,6, 0,9 e 1 ponto porcentual, respectivamente, e estão com 60,1%, 88,2% e 60,6%.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.