Tiago Queiroz/Estadão
Tiago Queiroz/Estadão

Cantareira interrompe sequência de três semanas de alta

Maior reservatório da Grande São Paulo se manteve estável nesta sexta-feira, com 11,1% da capacidade; três sistemas subiram

Felipe Cordeiro, O Estado de S. Paulo

27 Fevereiro 2015 | 10h09

SÃO PAULO - O volume de água armazenado no Sistema Cantareira, o principal manancial de abastecimento da Grande São Paulo, interrompeu sequência de 21 dias de alta nesta sexta-feira, 27. Segundo relatório da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp), o manancial está com 11,1% da capacidade, mesmo índice desta quinta-feira, 26. Além dele, o Alto Tietê também se manteve estável. 

Sobre a região das represas que formam o Cantareira, choveu apenas 0,7 milímetro nas últimas 24 horas. Desde 6 de fevereiro, quando iniciou a sequência de três semanas de elevação, o Cantareira recuperou 4,9 pontos porcentuais, beneficiado pelo mês de fevereiro mais chuvoso dos últimos nove anos. A um dia do fim do mês, o volume de precipitação já totaliza 293,7 mm, 47% superior ao esperado para o período (199,1 mm).

Além das chuvas, há redução do volume de água retirado do sistema pela Sabesp. No ano passado, o manancial chegou a passar oito meses sem registrar nenhum aumento. A última vez que o nível dos reservatórios desceu foi justamente no primeiro dia de fevereiro, quando caiu de 5,1% para 5%. O cálculo já considera duas cotas de volume morto, de 182,5 bilhões de litros e 105 bilhões, adicionadas no ano passado.

Outros mananciais. O nível de três reservatórios subiu nesta sexta-feira. Proporcionalmente, o maior aumento, de 0,9 ponto porcentual, ocorreu no Alto Cotia, onde choveu 20,6 milímetros. O volume de água armazenado é de 38,6%, contra 37,7% do dia anterior. 

Já o Guarapiranga, mesmo sem registro de chuvas entre esta sexta-feira e quinta-feira, aumentou 0,3 ponto porcentual e opera com 60,1% da capacidade, contra 59,8% do dia anterior. Por sua vez, o Rio Claro variou de 35,7% para 35,8% após somente 0,2 mm de precipitação.

Estável pelo quarto dia seguido, o Alto Tietê opera com 18,3% da capacidade. Sobre as represas do manancial, choveu 7,3 mm nas últimas 24 horas.

O único sistema que caiu nesta sexta-feira foi o Rio Grande, onde choveu apenas 0,2 mm. Com queda de 0,2 ponto porcentual, o manancial está com 83,1% da capacidade, contra 83,3% do dia anterior.

Mais conteúdo sobre:
Crise da água São Paulo Sabesp

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.