Daniel Teixeira/Estadão
Daniel Teixeira/Estadão

Cantareira e Alto Tietê registram queda de 0,2 ponto porcentual

Reservatórios que abastecem Região Metropolitana de São Paulo tiveram a maior perda do mês de novembro nesta terça-feira, 11

Rafael Italiani, O Estado de S. Paulo

11 de novembro de 2014 | 10h56

SÃO PAULO - O nível dos reservatórios dos sistemas Cantareira e Alto Tietê tiveram uma queda brusca entre segunda-feira, 10, e esta terça-feira, 11. Segundo a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) cada um perdeu 0,2 ponto porcentual. Juntos, os dois reservatórios abastecem cerca de 11 milhões de pessoas na Região Metropolitana de São Paulo. 

De acordo com a companhia, o nível do Cantareira passou de 11,3% para 11,1%. Já o Alto Tietê caiu de 8,2% para 8%. Pouco antes do mês de novembro chegar na metade, o nível de chuvas nos dois reservatórios permaneceu estável. O Cantareira registrou até agora 61,6 milímetros e o Alto Tietê 58,8 milímetros de precipitação. 

Os valores são superiores aos que foram registrados em outubro: 42,5 milímetros e 20,1 milímetros, respectivamente. O Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos (Cptec) do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) prevê chuva sobre os dois reservatórios a partir da próxima quinta-feira, 13. 

Justiça. No último dia 4 o Ministério Público Estadual (MPE) recorreu de uma decisão da Justiça que obrigava a Sabesp a reduzir imediatamente a captação de água do Sistema Alto Tietê que, diferentemente do Cantareira, não tem volume morto para captação com bombas. 

Na ação inicial indeferida pela Justiça, os promotores pediam, em caráter liminar, a suspensão da portaria do Departamento de Água e Energia Elétrica (DAEE) que autorizou a Sabesp a aumentar a produção de água do Alto Tietê de 10 mil para 15 mil litros por segundo em fevereiro deste ano, em plena crise hídrica. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.