Nilton Fukuda/Estadão
Nilton Fukuda/Estadão

Cantareira e Alto Tietê registram quarta alta consecutiva

Sistema Alto Cotia foi o único dos reservatórios a ter queda; período chuvoso vai de outubro a março

Victor Aguiar, Agência Estado

04 de outubro de 2015 | 12h55

SÃO PAULO - O nível do sistema Cantareira, considerado o principal manancial de abastecimento de água da capital e da região metropolitana de São Paulo, subiu pelo quarto dia consecutivo. Os dados são do boletim diário divulgado pela Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) neste domingo, 4.

O índice tradicionalmente divulgado pela Sabesp indica que o sistema opera com 16,7% de sua capacidade, ante nível de 16,6% registrado no sábado, 3. O número considera duas cotas de volume morto, adicionadas no ano passado.  

No cálculo negativo do sistema, que passou a ser divulgado após decisão judicial, o Cantareira avançou 0,1 ponto porcentual, atingindo -12,6%. Pelo terceiro índice, o nível do sistema também aumentou 0,1 ponto porcentual, chegando a 12,9%.

Nas últimas 24 horas, a Sabesp verificou o acúmulo de 0,2 milímetro (mm) de chuva no manancial. Desde o início do mês, a precipitação acumulada na região chega a 40,7 mm - a média histórica para outubro é de 128,5 mm.  

 

Outros mananciais. O volume de água armazenada no sistema Alto Tietê também avançou pelo quarto dia seguido, atingindo 15,5% neste domingo ante 15,4% no sábado. Esse índice leva em conta um volume morto, acrescentado no ano passado.    

Outros dois mananciais também registraram aumento no nível dos reservatórios. No sistema Rio Grande, a capacidade armazenada passou de 86% nesse sábado para 86,3%, enquanto no sistema Rio Claro o nível avançou 0,4 ponto porcentual, para 56,4%.  

Já o Guarapiranga, sistema que atualmente fornece água para mais pessoas na região metropolitana (5,8 milhões), opera neste domingo com 78,8% de sua capacidade, mesmo patamar verificado no sábado. O nível do sistema Alto Cotia, por sua vez, recuou 0,2 ponto porcentual, passando de 61,5% para 61,3%, de acordo com a Sabesp.

Tudo o que sabemos sobre:
sabespcantareiracrise da água

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.