Cantareira completa uma semana em alta

Nível do sistema cresceu 1,1 ponto porcentual desde o dia 1º; todos os demais mananciais registraram alta de ontem para hoje

Adriana Ferraz, O Estado de S.Paulo

08 Novembro 2015 | 11h13

SÃO PAULO - O Sistema Cantareira completou neste domingo, dia 8, uma semana de alta. Já somadas as duas cotas de volume morto, o manancial opera agora com 17,1% de sua capacidade, segundo dados atualizados da Companhia de Saneamento do Estado de São Paulo (Sabesp).

Responsável pelo abastecimento de 5,2 milhões de pessoas no Estado, o volume de armazenamento de água do Cantareira, mesmo sem chuva, subiu 0,1 ponto porcentual de ontem para hoje. Desde o início do mês, a pluviometria acumulada na região do Cantareira é de 69,5 mm - a média histórica para novembro é de 160,4 mm. 

Os demais mananciais importantes de São Paulo também registraram alta hoje. O nível do Guarapiranga, por exemplo, passou de 84,6% para 84,7%. Assim como o Cantareira, o volume do Guarapiranga cresceu mesmo sem a ocorrência de chuva. No Alto Tietê a pluviometria foi baixa - apenas 0,1 mm -, mas suficiente para elevar minimamente o nível do manancial, que opera agora com 15,1% de sua capacidade. Esse porcentual já leva em consideração a cota de volume morto acrescentada ano passado ao sistema.

O Sistema Rio Grande, que usa água da Represa Billings, cresceu 0,3 pontos porcentuais, alcançando 90,9% de sua capacidade, a maior entre os principais mananciais do Estado. Alto Cotia e Rio Claro também registraram aumento de capacidade, chegando a 69,1% e 58%, respectivamente. Os reservatórios de Rio Claro foram os que mais registraram alta na última semana. No dia 1º, segundo a Sabesp, o nível era de 54,3%, ou seja, a alta acumulada é de 3,7 pontos porcentuais.

Mais conteúdo sobre:
Crise da Água

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.