Cantareira aumenta vazão para Rio Atibaia de 3 para 4 metros cúbicos por segundo

Segundo o Consórcio dos Rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí, crise hídrica é a pior em 90 anos

Letícia Guimarães dos Santos -, Especial para O Estado de S. Paulo

20 Setembro 2014 | 11h33

CAMPINAS - Devido à crise hídrica que assola o Estado de São Paulo, o Sistema Cantareira aumentou a vazão de água para o Rio Atibaia, que abastece praticamente toda a cidade de Campinas. A vazão, que era de três metros cúbicos por segundo, passou para quatro na sexta-feira, dia 19. A informação é do Consórcio dos Rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí  (PCJ).

Segundo a entidade, a medida de urgência é necessária, já que esta crise é a pior em 90 anos, com o nível do Rio Atibaia atingindo a marca de 3,42 metros cúbicos por segundo.

Em março, quando a estiagem começou a gerar preocupação na região, o Departamento de Águas e Energia Elétrica do Estado (Daee) havia diminuído a vazão do Cantareira para o Atibaia para três metros cúbicos por segundo, mas a falta de chuva tornou a situação crítica.

A maior quantidade de água deve começar a chegar a Campinas a partir deste sábado, dia 20.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.