Cansaço e irritação nos olhos: efeitos da poluição

Em dezembro de 2009, um anúncio no jornal chamou a atenção do taxista Claudenilson Gouveia, de 40 anos, há 15 rodando pelas ruas de São Paulo. Ele viu que o Instituto do Coração, do Hospital das Clínicas da USP, convocava voluntários para pesquisa que mostrará os efeitos da poluição entre diferentes grupos de trabalhadores. "Trabalho há tanto tempo no meio da fumaceira que decidi que era hora de ver como estava", contou.

Vitor Hugo Brandalise, O Estado de S.Paulo

10 Janeiro 2011 | 00h00

Quatro semanas de testes foram suficientes para mostrar o porquê de o taxista se sentir tão cansado já a partir do meio-dia, e também as causas da irritação em seus olhos: são sintomas da poluição que enfrenta diariamente, do momento em que deixa a garagem de casa, às 6 horas, até o fim da jornada, às 22 horas. "Para mim, poluição era só problemas no nariz e no pulmão. Descobri que os olhos vermelhos e o cansaço também são causados pelo ar ruim", disse o taxista, que trabalha num ponto na Rua Líbero Badaró, no centro, uma das regiões mais problemáticas da cidade.

Gouveia é vítima da maior responsável pela poluição atmosférica gerada nas grandes metrópoles: 40% e 60% da poluição é causada pela queima de óleo diesel. Pelo período que passa no trânsito, ele absorve poluentes equivalentes ao que absorveria se tragasse entre três e quatro cigarros por dia. Suas chances de ter câncer do pulmão são até 20% maiores, e os riscos de sofrer com pressão alta, arritmia cardíaca e arteriosclerose também aumentam.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.