Cancelamentos em Congonhas chegam a 32,5% dos vôos

De 80 decolagens previstas, 26 haviam sido canceladas e apenas uma estava com atraso de mais de uma hora

08 de setembro de 2007 | 12h37

Mesmo com a conclusão das obras do grooving (ranhuras) na pista principal, o índice de cancelamento de vôos no Aeroporto de Congonhas foi bastante alto neste sábado. Segundo boletim da Infraero, até o meio-dia o aeroporto registrava 26 cancelamentos de vôos (ou 32,5%). Dos 80 vôos previstos nesse período, porém, apenas um sofreu atraso.  Para a Infraero, este índice de cancelamento é considerado normal e não decorreu de problemas na pista ou na operação do tráfego aéreo. Com a entrega da primeira parte da obra, o aeroporto, que estava funcionando das 8 às 22 horas, volta a operar em horário normal (entre 6 e 23 horas) a partir deste domingo, 9. As obras do grooving na pista principal do Aeroporto de Congonhas evitam a aquaplanagem com a pista molhada. Mesmo assim, para voltar a operar em dias de chuva, a pista principal precisa ter aprovação de três órgãos: da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), do Departamento de Controle de Espaço Aéreo (Decea) e do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa). A Infraero já encaminhou o pedido, mas ainda não obteve autorização e nem tem previsão de quando terá resposta. O grooving das duas cabeceiras ainda não foi concluído e a Infraero espera entregar essa etapa das obras em cerca de dez dias. Segundo a assessoria de imprensa da Infraero, a falta de ranhuras nas cabeceiras não oferece perigo aos vôos porque estes espaços são áreas de escape. Os aviões só as utilizam para fazer manobras.  Brasil O boletim divulgado pela Infraero ao meio-dia deste domingo indica também que, em todo o País, o índice de cancelamento de vôos foi de 17,6%. Do total de 694 vôos previstos, 122 foram cancelados e 25 (ou 3,6%) sofreram atrasos. Além de Congonhas, os aeroportos do Rio de Janeiro, Galeão e Santos Dumont, também registraram elevados índices de cancelamentos em seus vôos. No Santos Dumont, dos 23 vôos previstos até o meio-dia de hoje, 8 (ou 34,8%) foram cancelados. No Galeão, dos 72 vôos previstos neste mesmo período, 10 (ou 13,9%) foram cancelados e três (4,2%) sofreram atrasos.

Tudo o que sabemos sobre:
Congonhascancelamento de vôos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.