Campeão olímpico é preso por tráfico

Ouro no halterofilismo em Sydney-2000, búlgaro foi detido em Cumbica tentando embarcar para seu país com nove quilos de cocaína

MARCELO GODOY, O Estado de S.Paulo

28 Outubro 2011 | 03h01

O halterofilista búlgaro Galabin Boevski, campeão olímpico em Sidney no ano 2000, foi preso pela Polícia Federal no Aeroporto Internacional de Guarulhos, tentando embarcar para seu país com nove quilos de cocaína. A detenção ocorreu no dia 25, mas só ontem se tornou pública, após o Ministério das Relações Exteriores da Bulgária confirmar a informação.

Boevski ganhou a medalha de ouro em Sydney na categoria até 69 quilos, estabelecendo na época um novo recorde para a competição: levantou 357,5 kg - 162,5 kg na modalidade arranque e 196 kg na de arremesso. Quando foi preso, o campeão olímpico estava no Brasil havia uma semana. Ele desembarcou no País para acompanhar sua filha de 16 anos, que participou de um campeonato de tênis em Santa Catarina.

Na terça-feira, Boevski e a filha tomaram um avião para Cumbica no aeroporto de Navegantes (SC). Ali eles embarcariam para Madri, na Espanha, em um voo da Iberia, cujo destino final seria Sofia, na Bulgária. O búlgaro foi detido depois que a droga foi encontrada na revista de sua bagagem no raio X. A cocaína estava escondida nos forros de suas três malas.

O halterofilista foi retirado da fila dos passageiros por um policial federal e levado à delegacia do aeroporto, onde recebeu voz de prisão. Ao delegado Vladimir Pacine Schinkarew, ele afirmou que estava surpreso.

"Ele disse que não sabia que a droga estava ali", conta o delegado. O búlgaro afirmou que comprou as malas e elas vieram com a droga, uma história considerada inverossímil pela polícia.

Boevski foi autuado em flagrante por tráfico de drogas e enviado para o Centro de Detenção Provisória-3 (CDP-3), de Pinheiros, na zona oeste de São Paulo. Sua filha foi entregue ao Conselho Tutelar a fim de que o consulado búlgaro fosse avisado e pudesse se responsabilizar pela jovem na viagem de volta para seu país. Por fim, a Polícia Federal informou a Embaixada da Bulgária em Brasília sobre a prisão.

Após ser divulgada ontem pelo Ministério das Relações Exteriores da Bulgária, a informação sobre a detenção de Boevski repercutiu em todo o mundo. Além da medalha olímpica, o halterofilista havia sido duas vezes campeão mundial e três vezes europeu. Em 2004, parou de competir após ser suspenso por oito anos pela Federação Internacional de Halterofilismo após ser flagrado em exame antidoping.

O búlgaro deve aguardar julgamento preso. Caso seja considerado culpado, pode pegar pena de 5 a 15 anos de prisão por tráfico. As apreensões de drogas em Cumbica somaram em 2010 quase duas toneladas - 1,8 tonelada só de cocaína, ou 7% do total apreendido em todo o País pela Polícia Federal. Cumbica foi no ano passado o aeroporto onde mais apreensões de drogas foram registradas no mundo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.