Nani Gois/Assembleia Legislativa do Paraná-14/2/2011
Nani Gois/Assembleia Legislativa do Paraná-14/2/2011

Campeão de votos no PR é acusado de atropelar e fugir

Deputado estadual e apresentador de TV, Gilberto Ribeiro diz que assessor dirigia o carro e que acionou socorro antes de ir embora

Evandro Fadel / CURITIBA, O Estado de S.Paulo

15 Março 2011 | 00h00

O deputado estadual mais votado do Paraná, o apresentador de TV Gilberto Ribeiro (PSB), está sendo acusado de ter atropelado na calçada um adolescente de 14 anos, na noite de sábado, em Piraquara, na região metropolitana de Curitiba, e ter deixado o local sem prestar socorro à vítima. Testemunhas ainda disseram à polícia que ele estaria embriagado. O deputado defendeu-se ontem, afirmando que quem dirigia o carro era um assessor. Ele teria acionado o socorro antes de deixar o local.

Segundo a denúncia, o adolescente teria sido atropelado quando o carro do deputado desviou de um buraco na pista. O menino foi atingido na lateral do rosto e teve ferimentos na orelha. Ele precisou ser internado e ficou em observação até a tarde de domingo.

Por causa do depoimento das testemunhas do atropelamento - que dizem que Gilberto Ribeiro estaria embriagado e dirigindo o carro -, a polícia indiciou o deputado em inquérito. O político alegou que o assessor que dirigia o veículo, ao fazer a conversão para se desviar de um buraco, bateu no adolescente - que estaria com roupa escura em um local pouco iluminado.

Segundo ele, depois do atropelamento não houve prestação de socorro porque "um vendedor de cachorro-quente da região começou a incitar os populares". Por isso, seu assessor o teria chamado para deixarem o local. "Mas antes de sair chamamos por socorro", afirmou o deputado. Ele ainda disse que deu todo o atendimento necessário ao menino no hospital.

Afastamento. A Rede Independência de Televisão, retransmissora da Rede Record no Paraná, informou que Ribeiro foi afastado da apresentação do programa Balanço Geral "até que as investigações da polícia estejam encerradas". Segundo a empresa, o objetivo é "não interferir no andamento das investigações".

PARA LEMBRAR

O ex-deputado estadual do Paraná Fernando Ribas Carli Filho, de 29 anos, aguarda julgamento por homicídio pelo Tribunal do Júri. Ele é acusado de ter provocado um acidente, em 7 de maio de 2009, que matou dois rapazes. Nos depoimentos, Carli diz não se lembrar do acidente e admite apenas ter tomado vinho antes de dirigir. Segundo laudo do Instituto de Criminalística, o carro conduzido por Carli estava a uma velocidade entre 161 km/h e 173 km/h e o então deputado tinha a carteira suspensa, com mais de 130 pontos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.