Caminhoneiros são feitos reféns por 3 horas na zona leste de São Paulo

PM conseguiu prender dois suspeitos que ainda estavam no cativeiro, veículo não foi recuperado

Pedro da Rocha, estadão.com.br

20 Julho 2011 | 08h08

SÃO PAULO - Caminhoneiros foram feitos reféns por cinco bandidos na manhã de terça-feira, após serem abordados na Avenida Jacu-Pêssego, próximo ao centro de Itaquera. As vítimas foram levadas para uma casa e liberadas pelos criminosos cerca de três horas mais tarde. Os bandidos disseram que apenas queriam o caminhão. Acionada, a Polícia Militar conseguiu prender dois suspeitos que ainda estavam no cativeiro, mas o veículo não foi recuperado.

 

Um caminhoneiro e dois ajudantes voltavam para a sede da empresa para a qual trabalham, por volta das 9h, quando um Gol, com três ocupantes, se aproximou e um dos homens disse que havia uma peça solta no caminhão. "Quando encostei, um Corsa apareceu com duas pessoas dentro, uma delas armada. Eles já foram dizendo que queriam o caminhão e não iriam nos machucar", contou uma das vítimas, que não quis se identificar.

Os três foram feitos reféns e sentaram-se no banco traseiro do Corsa para serem conduzidos até um sobrado localizado na Rua Itaporã, em São Miguel Paulista, na zona leste da capital. Lá permaneceram sentados em um sofá, comeram um sanduíche e, aproximadamente às 12h30, foram levados e libertados no quilômetro 45 da Avenida Ayrton Senna, de onde chamaram a PM.

 

O soldado Gustavo Aguetoni, da 2ª Companhia do 29º Batalhão da PM, relatou que, ao invadirem o sobrado, por volta das 18h30, "encontramos dois suspeitos, um no térreo e outro no andar de cima". Outros dois homens pularam o muro e sumiram pelos telhados da vizinhança. Um cachorro da raça West Highland White Terrier, quase preto de sujeira, assistiu, encolhido na cozinha, a toda operação.

"Achamos que o local fosse apenas usado como cativeiro, mas na geladeira encontramos 18 tabletes de maconha e em um dos quartos havia uma mochila com pinos de cocaína prontos para a venda", disse Aguetoni.

 

Um liquidificador e uma bacia também foram apreendidos, indicando que o refino da droga era executado na cozinha. Foram presos Adriano Aparecido de Paulo e Tiago Ramos Paulino, ambos com 26 anos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.