Caminhões tumultuam rua

VILA SABRINA

O Estado de S.Paulo

16 de junho de 2012 | 03h01

Moradores da Vila Sabrina solicitam providências da CET a fim de coibir abusos das transportadoras instaladas no bairro. Essas empresas deixam caminhões estacionados dia e noite, e até nos fins de semana, prejudicando o acesso de veículos às residências e dificultando o trânsito local. Na Rua Aguiar Cardoso caminhões param nos dois lados da rua, com risco de acidentes e atropelamentos. Por se tratar de bairro residencial, pedimos a colocação de placas proibindo o estacionamento de caminhões nesta rua e em suas travessas. A situação é consequência da saturação do Terminal de Cargas Fernão Dias, que não comporta mais caminhões em seu estacionamento.

JOSÉ MIGUEL DOS SANTOS / SÃO PAULO

A CET informa que não é possível restringir o estacionamento de caminhões na Rua Aguiar Cardoso, pois a região de Vila Medeiros e Vila Maria se caracteriza pela presença de diversas empresas transportadoras, e cercear a circulação de veículos de carga somente aumentaria as irregularidades de trânsito, além de sobrecarregar outras vias da região. Ressalta que existe largura suficiente para comportar o estacionamento de veículos de carga neste local.

O leitor discorda: A Vila Sabrina é bairro tipicamente residencial e transportadoras devem se instalar em área comercial, com galpões e vias compatíveis com o trânsito pesado de caminhões e carretas. Para isso foi construído o Terminal de Cargas Fernão Dias! Apelamos à Subprefeitura Vila Maria/Vila Guilherme para que fiscalize as transportadoras e as oficinas de pintura e funilaria da R. Aguiar Cardoso para que o bairro volte a ser residencial.

LIMPEZA URBANA

Falta de planejamento

A Prefeitura está colocando lixeiras no Jardim da Saúde, o que é muito bom. No entanto, parece que está sobrando muito dinheiro ou não há planejamento algum para a sua instalação. Na Rua Juçara, entre a Avenida Bosque da Saúde e a Rua Tiquatira, num trecho de aproximadamente 200 metros de uma rua essencialmente residencial, foram colocadas 14 lixeiras, ou uma lixeira a cada 14 metros! Isso, por acaso, não é falta de planejamento e desperdício do dinheiro público?

JOSÉ THOMAZ FILHO / SÃO PAULO

A Secretaria de Serviços, por meio da Autoridade Municipal de Limpeza Urbana (Amlurb), informa que

a instalação das papeleiras obedece a critérios técnicos que levam em conta o fluxo da via e sua frequência de varrição. Desta forma, a Prefeitura oferta mais opções para o descarte dos resíduos e conta com o auxílio da população que deve depositar seu lixo

em locais adequados.

O leitor critica: A resposta da Prefeitura não é convincente, pois se trata de uma rua essencialmente residencial e não se justifica a quantidade de lixeiras instaladas.

SERVIÇO 'TAPA-BURACO'

Descaso da Prefeitura

Estou indignado com a Prefeitura (Subprefeitura Lapa). Moro em Perdizes e, há alguns dias, um buraco muito grande e profundo (ocupa duas faixas da rua) apareceu na Rua Aimberê (altura do número 592). Ao perceber que a Prefeitura não iria fazer nada a respeito, resolvi mandar uma solicitação para o serviço "tapa-buraco". Pois bem, a resposta foi: "O serviço é de responsabilidade da concessionária Sabesp. Portanto, sugerimos que o sr. ligue no 195 (SAC da Sabesp) e solicite o reparo". O munícipe é que tem de resolver o problema? A Prefeitura foi avisada e, no mínimo, deveria tomar providências em relação à Sabesp! Entendo que, como cidadão, deveria ajudar a preservar a cidade, mas fica difícil com tanta falta de vontade dos governantes e de funcionários de serviços públicos.

BRUNO GRANDEZA / SÃO PAULO

O superintendente da Unidade de Negócio Centro da Sabesp, Francisco José F. Paracampos, informa que foi executada, no dia 23

de maio, a troca do ramal de esgoto e feita a reposição parcial com base de concreto. Quando a equipe retornou para colocar a capa asfáltica, não foi possível terminar o a obra porque havia um veículo estacionado no local. A conclusão do serviço está programada para o dia 16 de junho.

O leitor comenta: O problema foi solucionado somente por parte da Sabesp. Permanece a minha reclamação quanto ao descaso da Prefeitura, que, ao saber do problema, jogou a responsabilidade, de cobrar a Sabesp, para mim.

VIVO-TELEFÔNICA

Resultado da fusão

Telefonia Vivo nasceu morta!

ORIVALDO T. DE VASCONCELOS

/ MONTE ALTO

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.