Caminho feito por Abraão 4 mil anos atrás deve virar rota turística

A ONG Caminho de Abraão pretende tornar acessível todo o itinerário de 1,2 mil km que teria sido percorrido pelo patriarca comum ao judaísmo, cristianismo e islamismo. E transformar a rota em percurso turístico tão famoso quanto o Caminho de Santiago, por exemplo.

O Estado de S.Paulo

16 Setembro 2012 | 03h07

"O turismo tem um poder incrível de desenvolvimento econômico. E de promoção da paz", defende o empresário Alexandre Chade, um dos principais integrantes do braço brasileiro da organização.

A ONG foi criada em 2007 pelo antropólogo americano William Ury, um negociador de conflitos de Harvard. Em 2007, durante viagem ao Brasil, ele conheceu alguns empresários e se surpreendeu com a amizade existente entre povos, em geral, em conflito. "Ele nos mostrou a responsabilidade que temos de mostrar essa possibilidade de convivência ao mundo todo", recorda-se Chade.

Desde sua fundação, a ONG já conseguiu recursos para que parte dos 1,2 mil km do caminho feito por Abraão há 4 mil anos fosse reestruturada, estando em funcionamento em trechos na Turquia, na Jordânia, na Palestina, no Líbano e em Israel. Essa ação tem o apoio da Aliança de Civilizações da Organização das Nações Unidas (ONU) e da Universidade Harvard. Além do Brasil, a ONG está presente nos Estados Unidos, na Espanha e na Inglaterra. / E.V.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.