Caminhão tombado bloqueia via por 14 h

Veículo transportava 25 toneladas de butano, gás altamente inflamável; acidente ocorreu na Avenida do Estado, no centro de São Paulo

Pedro Sibahi e Matheus Maderal, Especial para o Estado, O Estado de S.Paulo

16 de outubro de 2013 | 02h09

Um caminhão com carga perigosa bloqueou parcialmente por mais de 14 horas a Avenida do Estado, uma das principais vias paulistanas. O veículo transportava 25 toneladas de gás butano, altamente inflamável e tombou ontem na Avenida do Estado na frente do Mercado Municipal.

O acidente ocorreu às 4h26, após uma noite chuvosa, e as causas ainda são investigadas. De acordo com os dados da CET, por volta das 15h a região central liderava em lentidão na cidade, com 15 quilômetros de congestionamento.

Embora tenha ocorrido um pequeno vazamento de diesel do tanque de combustível - contido ainda pela manhã -, a Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb) informou que não houve escape do material nem risco de explosão.

O motorista do caminhão Arivaldo Afonso Xavier, de 41 anos, foi resgatado pelo Corpo de Bombeiros e atendido na Santa Casa de Misericórdia, por volta das 5h, com ferimentos leves. Embora o acidente tenha ocorrido na frente do Mercado Municipal, o presidente da associação de permissionários do estabelecimento, Marlon Madureira Tavares, afirmou que não foi necessário interromper as atividades de nenhuma das lojas.

A Defesa Civil chegou a cogitar interdição do quarteirão para veículos e pedestres durante a remoção do caminhão, mas, após avaliação técnica, decidiu-se por executar o procedimento sem fechar nenhuma via. Segundo a Cetesb, a decisão de içar o tanque e transferi-lo para outro veículo considerou o trânsito intenso na região, além de moradias próximas, para evitar riscos e maiores transtornos.

Durante o dia, 55% do gás foi transferido para outro caminhão da mesma transportadora, com o objetivo de aliviar o peso durante a remoção, diminuindo o peso total para 12 toneladas. Às 17h15, um guincho da Cetesb começou a erguer a cabine e em seguida foi feita a retirada do cilindro de gás, que não sofreu danos significativos com o impacto do acidente, depois foi acoplado a outra carreta e entregue ao seu destino inicial. A operação foi concluída às 18h35.

Irregularidades. O veículo da transportadora Contatto, que saiu do distrito de Utinga, na região do ABC paulista, estava com a licença Especial de Transporte de Produtos Perigosos vencida desde maio. Por esse motivo, a empresa será multada em R$ 5.750 e receberá mais uma penalidade no valor de R$ 700, por causa do não cumprimento das providências obrigatórias em caso de acidente com cargas perigosas. Segundo a CET, "a responsabilidade pela retirada de cargas e caminhões tombados em vias públicas é da transportadora ou do proprietário do veículo".

A empresa proprietária da carga também será autuada e multada em R$ 5.750, por ter embarcado um produto perigoso em caminhão com licença vencida. De acordo com decreto de 2009, o transporte de produtos perigosos no Município só pode ser feito por empresas cadastrada, com veículos que possuem uma licença específica. O tráfego de qualquer um desses elementos é proibido das 5h às 10h e das 16h às 21h.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.